Banca & Finanças Fitch mantém rating do BCP no lixo

Fitch mantém rating do BCP no lixo

A agência de notação financeira manteve a classificação de longo prazo do BCP em BB-, que corresponde ao terceiro nível da categoria de investimento especulativo.
Fitch mantém rating do BCP no lixo
Carla Pedro 25 de janeiro de 2017 às 20:17

A Fitch Ratings manteve a notação do BCP em BB-, que é o terceiro nível do chamado "lixo" – quando o investimento é especulativo, em vez de ser de qualidade.

 

Quanto às perspectivas (outlook) para a evolução do rating do banco liderado por Nuno Amado, a agência sublinha, no relatório divulgado esta quarta-feira, 25 de Janeiro, que se mantém "estável".

 

Este reiterar do rating e do outlook do BCP segue-se ao anúncio, no passado dia 9 de Janeiro, de que o banco pretende angariar 1,33 mil milhões de euros através da emissão de direitos.

 

"A Fitch está convicta de que o aumento de capital é positivo para o perfil de risco do Millennium bcp, uma vez que permitirá ao banco reembolsar os 700 milhões de euros que ainda tem a pagar ao Estado no âmbito das obrigações contingentes convertíveis em acções [CoCos]", refere o documento da agência de rating aludindo à ajuda pública de 2012.

 

Isto, por sua vez, melhorará a situação de solvência do banco e compensará as pressões decorrentes da erosão de capital, acrescenta a Fitch.

 

No entanto, adverte, "a capitalização continua a ser vulnerável à forte exposição do banco a activos problemáticos".

 

Segundo a Fitch, o actual rating atribuído ao BCP reflecte a "faca qualidade dos activos do Millennium bcp, o que pressiona a sua rentabilidade operacional e a geração de capital interno, bem como a sua capitalização". Por outro lado, a contrabalançar estes aspectos, esta notação BB- reflecte também a operação doméstica "sólida" e as melhorias em matéria de financiamento e liquidez.

No passado dia 16, a S&P colocou o rating do BCP em revisão, com "implicações positivas", o que significa que pode vir a subir a notação do banco. A agência disse considerar que a dívida do BCP tem características especulativas mas elogiou o aumento de capital e os seus efeitos.

 

No mesmo dia, a Moody’s considerou que o aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros do BCP é positivo para o seu crédito. Contudo, disse haver dúvidas sobre a concretização do plano estratégico para 2018.



As acções do Banco Comercial Português fecharam hoje em queda, pela terceira sessão consecutiva, pressionadas pela evolução em baixa dos direitos de subscrição do aumento de capital.


(notícia actualizada às 20:31)


A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Nonagésimo 25.01.2017

Lixo é lixo

comentários mais recentes
Anónimo 26.01.2017

Consta que o Criador de Touros, farto de remar contra a maré e finalmente percebendo o erro que havia cometido ao comprar uma banqueta falida, vendeu tudo o que tinha de bcp com grandes perdas, e deixou a bolsa de vez, para os que percebem mais que ele.

surpreso 25.01.2017

Como eu,micro-accionista os entendo...

Joao22 25.01.2017

sera um processo longo mas acredito apesar de a geringonça fazer muito pouco ou mesmo nada para que se saia do buraco com o pior crescimento europeu, como sempre.

Nonagésimo 25.01.2017

Lixo é lixo

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub