Tecnologias Fornecedor da Apple reforça actividade na Índia

Fornecedor da Apple reforça actividade na Índia

A Wistron, empresa fornecedora de componentes para smartphones da Apple, tenciona alargar a sua unidade de produção na cidade de Bengaluru, na Índia.
Fornecedor da Apple reforça actividade na Índia
.
Negócios 02 de janeiro de 2017 às 13:16

Um dos fornecedores da Apple está a preparar a expansão da sua presença na Índia, através do aumento de capacidade de produção, passo que surge depois de a própria tecnológica e fabricante de electrónica de consumo ter manifestado a intenção de começar a produzir naquele país.

De acordo com a Reuters, o pedido de expansão foi feito pela Wistrom junto do governo de Karnataka, no sul da Índia. Embora não se saiba se a Apple vai efectivamente transferir parte da produção para a Índia, fontes oficiais referem à agência noticiosa que a expansão da empresa sediada em Taiwan poderá ser um indício desse alargamento.

Em Dezembro passado, a Apple anunciou a intenção de expandir a sua produção para a Índia. A estratégia da tecnológica de Cupertino passa pela abertura de mais lojas e a negociação com o governo indiano para o financiamento de fábricas no país. Em causa está o acesso ao mercado indiano de smartphones, onde detém menos de 5% de quota.

Segundo a mesma fonte, a entrada da Apple no contexto de produção nacional poderá vir a ser benéfico para o país, numa altura em que o governo pretende atrair investimentos estrangeiros.


Segundo os analistas, a produção local na Índia pode representar uma estratégia de expansão mais ampla da Apple, resultando em custos de produção mais baixos para a empresa da maçã. A Foxconn, também fornecedora da Apple, já possui uma unidade de produção no sul da Índia.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub