Banca & Finanças Fosun investiu 548 milhões no BCP e tem mais-valia potencial

Fosun investiu 548 milhões no BCP e tem mais-valia potencial

Investimento do grupo chinês no aumento de capital ficou bem abaixo do previsto, já que a Fosun não alcançou a fasquia dos 30% como admitia no início da operação. O preço médio de aquisição da participação total está abaixo da actual cotação.
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 08 de fevereiro de 2017 às 10:25

No início do aumento de capital do Banco Comercial Português a Fosun anunciou que iria realizar um investimento que poderia chegar aos 531 milhões de euros. Concluída a operação, o grupo chinês adiantou que o investimento foi substancialmente inferior, já que não chegou aos pretendidos 30% devido à forte participação dos restantes accionistas na operação.

 

Em comunicado enviado à bolsa de Hong Kong, a Fosun diz que reforçou a posição no BCP para 23,92%, tendo para tal realizado um investimento de 374 milhões de euros. Além da forte procura no aumento de capital, que impossibilitou a Fosun de chegar aos 30%, o facto de os direitos de subscrição terem negociado em terreno negativo em bolsa também baixou o investimento da cotada chinesa.

 

Antes do aumento de capital a Fosun tinha 16,7% do BCP, num investimento de 174,58 milhões de euros realizado num aumento de capital do BCP com subscrição exclusiva do grupo chinês que foi realizado em Novembro.

 

Assim, somado ao valor empregue no recente aumento de capital, a participação actual no BCP, constituída por 3.615.709.715 acções, representou um investimento total de 548,5 milhões de euros. O que representa um custo de 15,17 cêntimos por acção, pelo que a Fosun, tendo em conta a actual cotação do banco, está com uma mais-valia potencial de 2,7% na carteira de acções do BCP.

 

As acções do BCP, depois da forte queda de ontem, estão esta quarta-feira a desvalorizar 0,76% para 15,58 cêntimos. Amanhã serão admitidas à negociação as novas acções resultantes do aumento de capital, bem como dos títulos subscritos pela Fosun em Novembro. A posição de 16,7% adquirida em Novembro não pode ser vendida por um período de três anos.




A sua opinião20
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
investidor1 09.02.2017

https://goo.gl/forms/3f25LE6Qekr0VWo22

Obrigado.

investidor1 09.02.2017

https://goo.gl/forms/3f25LE6Qekr0VWo22

Obrigado.

Anónimo 08.02.2017

Caros BCpatos, gente comentadeira e que gostas e perder dinheiro. Porque são ignorantes, cumpre-me informar que no último aumento de capital ficaram disponíveis para rateio cerca de 225 Milhões de acções. Estas acções custaram aos subscritores 0,094, porque não precisaram de deter direitos para as comprar. Percebem qual é a mais valia face aos actuais 0,15? Claro que não perceberam, já desconfiava. Mas são gente fixola.

a isabelinha da sonosol 08.02.2017

espero que amanhã continue a haver muitos " parvinhos " como hoje a vender a este preço que é para eu ir gastando os 310 milhões que recebi do bpi

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub