Banca & Finanças Fosun nomeia mais três administradores para o BCP

Fosun nomeia mais três administradores para o BCP

A Fosun vai reforçar a sua presença na administração do BCP com a nomeação de mais três administradores não executivos de origem chinesa, para um total de cinco elementos. A cooptação destes representantes foi aprovada esta quarta-feira, faltando luz verde do BCE.
Fosun nomeia mais três administradores para o BCP
Bruno Simão/Negócios
Maria João Gago 28 de junho de 2017 às 17:40

A Fosun vai reforçar a sua presença na administração do BCP, com a nomeação de três novos administradores não executivos de origem chinesa, cuja cooptação foi aprovada esta quarta-feira, 28 de Junho, pelo conselho do banco, de acordo com o comunicado que acaba de ser divulgado no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

 

A entrada em funções dos três novos membros da administração – Gu Xiaoxu, Li Cheng e Zhihua Shen – fica agora dependente da aprovação do Banco Central Europeu (BCE). Nesse sentido, o BCP compromete-se a "promover os actos necessários à instrução do processo de pedido de avaliação por parte do BCE/Banco de Portugal", refere a nota da instituição liderada por Nuno Amado.

 

Com a nomeação de mais três administradores não executivos, o conselho do BCP passa a ter 22 elementos, dos quais 14 não têm funções executivas.

 

Fosun passa a ter cinco administradores

 

A entrada dos três novos administradores chineses reforça para cinco o número de representantes indicados pela Fosun, tal como estava previsto no memorando de entendimento acordado entre o BCP e o conglomerado chinês, no âmbito do investimento do grupo de Guo Guangchang no banco.

 

No entanto, em vez de ter dois administradores executivos e três não executivos, como estava inicialmente previsto, o maior accionista do BCP, com 23,9%, indicou apenas um gestor executivo e quatro não executivos.

 

Neste momento, já estão em funções João Nuno Palma, que é vice-presidente executivo de Nuno Amado, e Lingjiang Xu, administrador não executivo. Ambos assumiram funções a 10 de Maio último, depois de obtida a autorização do BCE.


(Notícia actualizada às 17:44)



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
faça como eu 28.06.2017

https://simp.pgr.pt/dciap/denuncias/index2.php

Anónimo 28.06.2017

Noticias do bcp, sobre o imóvel que foi vendido por 4 ME e tinha proposta de 8ME ( fonte Correio da Manhã), as autoridades já foram verificar???

JCG 28.06.2017

Mais administradores? que manada de parasitas a mamar! Mais: os chineses metem administradores porque entraram no K, mas os outros acionistas que reduziram a sua participação no K não reduziram de igual modo a quantidade de administradores parasitas que lá tinham abancado.

Saber mais e Alertas
pub