Banca & Finanças Fosun “satisfeita” com “confiança dos accionistas e investidores” no BCP

Fosun “satisfeita” com “confiança dos accionistas e investidores” no BCP

A Fosun aplaude o desfecho do aumento de capital do BCP. E reclama para si parte dos louros do resultado. “Estamos satisfeitos pelo facto de a nossa entrada no capital do BCP ter proporcionado esta expressão de confiança por parte dos accionistas e investidores”, adianta o grupo chinês ao Negócios.
Fosun “satisfeita” com “confiança dos accionistas e investidores” no BCP
Maria João Gago 03 de fevereiro de 2017 às 18:42

O grupo chinês Fosun está "satisfeito com os resultados do aumento de capital" do BCP, operação que permite "atingir o nível de capitalização necessário para o desenvolvimento futuro do banco", adiantou fonte autorizada do conglomerado liderado por Guo Guangchang ao Negócios.

 

Para a Fosun, o resultado da operação também é um reflexo do investimento que o grupo chinês fez na instituição liderada por Nuno Amado. "Estamos igualmente satisfeitos pelo facto de a nossa entrada no capital do BCP ter proporcionado esta expressão de confiança por parte dos accionistas e investidores", refere a mesma fonte.

 

Sobre a participação accionista com que o conglomerado chinês ficou na sequência da sua participação no aumento de capital, a Fosun admite apenas ter superado a fasquia dos 20%. "Estamos a aguardar a comunicação sobre o montante final da nossa participação, mas temos a expectativa de, apesar da procura verificada, ter atingido o nosso objectivo de detenção, nesta fase, de uma posição qualificada superior a 20%".

 

De acordo com a informação recolhida pelo Negócios, a Fosun passou a ter quase 24% do capital do BCP, contra a posição de 16,67% detida antes da operação de reforço de capital.

 

O banco de Nuno Amado concluiu esta sexta-feira, 3 de Fevereiro, o aumento de capital de 1.330 milhões de euros, destinado a reembolsar a última tranche de ajuda estatal, no valor de 700 milhões. A operação registou uma procura quase 23% superior à oferta.

 

Além da Fosun, também os restantes accionistas de referência do BCP participaram no aumento de capital, mantendo as mesmas participações accionistas. A Sonangol ficou com 14,9% do banco, a EDP 2,1% e a InterOceânico 1,7%.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
NaoSei Há 2 semanas

suiriri...olha que eu nunca fui aumentado...se tu nao foste durante anos, olha eu nunca fui.

suiriri Há 2 semanas

Quando e que os reformados do BCP com uma reforma mínima de 748 são aumentados? Há décadas que não vêm aumentos. Com o aumento para 9 euros das consultas no SAMS e as comparticipações nas despesas de saúde que há mais de uma década que não são actualizadas muitos bancários vivem situações de pobreza enquanto os ex administradores do BCP tem reformas brutais. Um exemplo flagrante disso é a reforma mensal de Jardim Gonçalves conforme (noticia de Maio de 2012 in JN) de 174 mil euros, deixar de pagar despesas com 4 seguranças, 2 automóveis em regime de exclusividade e custos de transporte em avião privado.

Resposta de suiriria suiriri Há 2 semanas

A FOSUN está satisfeita mas quem não esta satisfeito são muitos bancários reformados que estão a empobrecer de uma forma que nunca esperariam ter depois de décadas a trabalhar a Banca. Vamos ver se com a estabilização do BCP se lembram dos reformados com a reforma mínima...

Helder Há 2 semanas

Este goza com os pequenos investidores

pub
pub
pub
pub