Banca & Finanças Fosun vai investir mais de 400 milhões no aumento de capital do BCP

Fosun vai investir mais de 400 milhões no aumento de capital do BCP

A Fosun vai investir mais de 400 milhões no aumento de capital do BCP. O maior accionista do banco vai aproveitar a operação para reforçar a sua posição para 30%. Com este reforço de posição, o grupo chinês eleva a mais de 577 milhões o investimento na instituição de Nuno Amado.
Fosun vai investir mais de 400 milhões no aumento de capital do BCP
Reuters
Maria João Gago 09 de janeiro de 2017 às 18:11

A Fosun vai investir mais de 400 milhões de euros no aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros do BCP, garantindo a colocação de 30% do valor total da operação. Desta forma, o grupo chinês pretende reforçar a sua posição dos actuais 16,7% para 30%, consolidando-se como o maior accionista da instituição liderada por Nuno Amado.

 

Com o aumento de capital, o conglomerado liderado por Guo Guangchang eleva a mais de 574 milhões de euros o investimento total no BCP. Recorde-se que, em Novembro, a Fosun subscreveu um aumento de capital de 174,58 milhões de euros realizado pelo BCP e que se destinou à subscrição exclusiva do grupo chinês.

 

Após o primeiro investimento no BCP, realizado em Novembro último, a participação accionista da Fosun no BCP fixou-se em 16,67%, o que tornou o conglomerado chinês no maior accionista do banco.

 

Para poder elevar a sua posição no BCP para 30%, o grupo de Guo Guangchang vai ter de adquirir direitos de subscrição a accionistas que não queiram acompanhar a operação. Por esta razão, além dos 399,58 milhões  que vai ter de aplicar na subscrição de novos títulos, a Fosun terá de desembolsar mais dinheiro nesta operação.

 

O grupo chinês vai tomar 31% do aumento de capital de 1.300 milhões, já os restantes 900 milhões são tomados firmes por um consórcio de bancos internacionais, composto pelo JP Morgan, Goldman Sachs, Bank of America Merril Lynch, Crédit Suisse e Mediobanca. O aumento de capital terá início a 19 de Janeiro e deve terminar a 2 de Fevereiro.

Num comunicado entretanto emitido, o BCP confirma que Chiado (empresa através da qual a Fosun é accionista do BCP) apresentou já uma ordem "irrevogável de subscrição antecipada de um número de ações que, caso seja integralmente satisfeita, lhe permita passar a deter 30% do capital social do BCP após a Oferta, participação a alcançar através do exercício dos direitos de subscrição inerentes às acções por si presentemente detidas e, adicionalmente, de ordem de subscrição adicional e/ou do potencial exercício de outros direitos de subscrição que possa vir a adquirir".

(notícia actualizada às 19:25 com comunicado)




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado forex Há 2 semanas

As acçoes da banca, BCP e BPI têm tudo para subir este ano, se o BES ficar "bem" resolvido, com a estabilização da banca em Itália, e alguma recuperação económica na Europa, a sangria da imparidades e prejuizos, pode estancar.
Os preços das acçoes dos bancos estão muito baixos, não é de vender nesta altura. É o que penso .

comentários mais recentes
banca_falida Há 2 semanas

Falido

forex Há 2 semanas

As acçoes da banca, BCP e BPI têm tudo para subir este ano, se o BES ficar "bem" resolvido, com a estabilização da banca em Itália, e alguma recuperação económica na Europa, a sangria da imparidades e prejuizos, pode estancar.
Os preços das acçoes dos bancos estão muito baixos, não é de vender nesta altura. É o que penso .

Resposta de JCGa forex Há 2 semanas

Só que a operação anunciada vai obrigar a vender os direitos ao desbarato por quem simplesmente não tem mais dinheiro para enterrar no BCP

Anónimo Há 2 semanas

Ao valor a que se encontram neste momento as acções do BCP o banco já devia ter sido fechado, não?
Vão continuar a. enganar as pessoas, isto faz-me lembrar o BES foi o único banco que não aceitou o empréstimo do BCE e depois fechou da maneira que nos sabemos.
Será que estamos a ser roubados?


Anónimo Há 2 semanas

O s tempos das indefinições no BCP acabaram, excepto os angolanos da Sonangol deixaram em aberto a sua entrada de posição de reforço, na tentativa de trazer alguma indefinição ao mercado e apanhar a sua posição de reforço mais barata. Bem espertos estes angolanos. Chineses e angolanos adquirem o maior banco privado português ao preço da uva mijona.
-É só fazer as contas: a posição do BCP no millenium polonia vale cerca de 600 milhões e o BCP está neste momento a valer, a preços de mercado 900 milhões. A questão é a ss: será q a restante operação do Grupo BCP só vale 300 milhões. Grande negocio da china!

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub