Comércio Fotosport reforça posição nas lojas de fotografia com fusão com Citylab

Fotosport reforça posição nas lojas de fotografia com fusão com Citylab

O empresário José Veríssimo comprou a cadeia de lojas Fotosport e avançou, agora, para a fusão com a Citylab, que já era sua.
Fotosport reforça posição nas lojas de fotografia com fusão com Citylab
Alexandra Machado 21 de junho de 2017 às 16:03
José Veríssimo, que detinha a Citylab, adquiriu as lojas Fotosport e agora procedeu à fusão das duas redes. Assim, as lojas Citylab vão converter-se em Fotosport, que ficará com uma rede de 41 lojas, a maior dedicada ao ramo da fotografia.

Antes da fusão existiam 36 lojas Fotosport, juntando-se agora as cinco Citylab (Mar Shopping, Constituição, Marco de Canaveses, Felgueiras, Valença).

As empresas têm um volume de negócios agregado de três milhões de euros.

"Este momento é o culminar de um processo que se iniciou há alguns anos, primeiro através do acompanhamento da atividade da Fotosport, partilhando ideias e uma visão para um mercado de fotografia que enfrentou imensas dificuldades no início do século, com a queda dos serviços analógicos e alteração dos hábitos de consumo para serviços mais digitais. Decidimos juntar forças para ultrapassar estes constrangimentos e contribuir para o crescimento do mercado da fotografia em Portugal", explica, em comunicado, José Veríssimo, que detém 60% da Equation, empresa proprietária da Fotosport, e que detém a Citylab.
 
Em comunicado, a empresa acrescenta que vai apresentar novas soluções de compra nas lojas. 

A Fotosport nasceu há cerca de 50 anos no Porto, através da firma 
Agostinho Monteiro. Mas em 1996 passou para o universo da Kodak, passando a sede para Linda-a-Velha, em Oeiras, mantendo a marca Fotosport no retalho. Em 2005, passou para a sueca Fotoquick e em 2009 ficou na Equation.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub