Indústria Francesa Groupe GM abre fábrica de sabonetes em Viana do Castelo

Francesa Groupe GM abre fábrica de sabonetes em Viana do Castelo

A multinacional francesa de cosmética Groupe GM vai deslocalizar a sua fábrica de sabonetes de Esposende para Viana do Castelo, num investimento estimado de 2,4 milhões de euros e que prevê criar 15 postos de trabalho.
Francesa Groupe GM abre fábrica de sabonetes em Viana do Castelo
A nova fábrica do Groupe GM, que está a ser construída em Viana do Castelo, deverá entrar em funcionamento em Fevereiro do próximo ano.
Rui Neves 08 de novembro de 2017 às 15:40

Instalada em Esposende desde Março de 2003, onde arrancou com apenas quatro trabalhadores, a fábrica de sabonetes da Groupe GM, que emprega actualmente pouco mais de 20 pessoas, vai deslocalizar-se para Viana do Castelo, adiantou ao Negócios fonte oficial da empresa.

 

A multinacional francesa de cosméticos aposta em novas instalações industriais, que permitam assegurar o aumento da sua capacidade de produção e armazenagem, num investimento de 2,4 milhões de euros e que vai criar 15 postos de trabalho.

 

A nova fábrica está a ser construída na zona industrial de Neiva, num lote de terreno com cerca de 11,5 mil metros quadrados e uma área de construção de mais de cinco mil, prevendo-se que entre em funcionamento em Fevereiro do próximo ano.

 

Num investimento liderado pelas empresas Groupe GM – Cosmética Portugal e Groupe GM – Península Ibérica, que integram a multinacional francesa Groupe GM, a nova fábrica está a ser edificada pela Garcia, Garcia, construtora especializada no design e construção de edifícios industriais e logísticos.

 

A nova fábrica da subsidiária portuguesa do grupo francês, que produz sabonetes para a indústria hoteleira, marcas de retalho e "private labels" (marcas de outras empresas), "servirá também como plataforma de distribuição de produtos de acolhimento destinados ao mercado hoteleiro a cargo da Groupe GM – Península Ibérica", refere a Garcia, Garcia, em comunicado.

 

Segundo esta construtora, a decisão de construção de uma nova fábrica em Viana pelo Groupe GM resulta do crescimento que as subsidiárias portuguesa e ibérica "têm registado nos últimos anos, sendo que as atuais instalações já não oferecem o espaço e as condições necessárias para sustentar esse crescimento e potenciá-lo no futuro".

 

Fundada em 1972, a francesa Groupe GM apresenta-se como "líder mundial no fornecimento de produtos de acolhimento e cosmética de marca ao mercado hoteleiro", estando actualmente presente em 120 países.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
É TB. DE LIGAçÔES AFECTIVAS QUE FALAMOS Há 1 semana

Esta grupo francês, q nada nos diz, q nada tem a ver connosco, é bem o exemplo da GLOBALIZAÇÃO, Q NOS É SERVIDA PELA MÃO SINISTRA DO ULTRALIBERALISMO CEGO DA DIREITA, Q TOMOU CONTA DA EUROPA E DO MUNDO E Q, COM O SEU CAPITAL, ESMAGA AS NOSSAS TRADIÇÕES, A NOSSA INDÚSTRIA E A NOSSA PRÓPRIA MEMÓRIA.

A RASOIRA DO ULTRALIBERALISMO TUDO MATA Há 1 semana

Esta meerda de grupo vem destruir a nossa antiga, icónica e de excelente qualidade indústria de sabonetes portuguesa.
É NISTO QUE DÁ A GLOIBALIZAÇÃO : FAZER PERDER A NOSSA IDENTIDADE, A QUE SEMPRE CONHECEMOS, DESDE QUE NASCEMOS, DESDE BÉBÉS.
NÃO É LAMECHICE, É UM GRITO DE REVOLTA.

pub