Aviação Franceses da Lauak fecham compra de terreno para construir fábrica de 22 milhões em Grândola

Franceses da Lauak fecham compra de terreno para construir fábrica de 22 milhões em Grândola

Contrato-promessa de compra e venda de terrenos foi assinado esta quarta-feira entre a Lauak e a Câmara Municipal de Grândola. Franceses do sector da aeronáutica admitem vir a construir uma segunda fábrica no município
Franceses da Lauak fecham compra de terreno para construir fábrica de 22 milhões em Grândola
Celso Filipe 23 de agosto de 2017 às 15:43

A Câmara Municipal de Grândola e a Lauak assinaram esta quarta-feira, 23 de Agosto, um contrato-promessa de compra e venda de terrenos situados na Zona Industrial Ligeira de Grândola, destinados à construção de uma fábrica de produção de componentes de avião. A realização deste investimento foi avançada pelo Negócios na sua edição de segunda-feira.

O contrato foi assinado pelo presidente da edilidade, António Figueira Mendes Mendes, pelo administrador da Lauak Grândola, participada do grupo francês do mesmo nome, Jean-Marc Charriton, e pelos directores Armando Gomes e Filipe Gomes (na foto).

O investimento será de 22 milhões de euros, irá criar, numa primeira fase, 100 postos de trabalho, um número que poderá crescer ao longo dos anos, visto que se prevê a possibilidade de construção de uma segunda unidade industrial.

O presidente do município, António Figueira Mendes, em comunicado, afirmou "estar muito feliz por participar neste momento", sublinhando que "com este investimento são alcançadas melhorias concretas nas condições de vida das populações, quer os grandolenses, quer aqueles que pretendam escolher o concelho para viver e trabalhar, assim como o regresso daqueles que tiveram que escolher outros locais atendendo às dificuldades de trabalho que se depararam".




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
João 24.08.2017

Coitados... nem sabem com quem se meteram... daqui a 2 anos têm os sindicatos dentro da fábrica e os 22 milhões ardem num instante.... esqueceram-se da regra nº 1 dos investidores : NUNCA INVESTIR ABAIXO DO RIO TEJO... a Auto Europa foi uma excepção à regra que agora tem as suas repercussões...

Viriato 24.08.2017

Olhando nessa foto, aí se tem mais uma evidência que os portugueses do sul têm mesmo aspecto de árabes... se calhar é porque são mesmo descendentes de árabes e como tal deveriam habitar num país diferente do pessoal do Norte! Haja separação deste país! Para um rumo melhor! Mouros e comunada aparte!!