Aviação Franceses da Lauak investem 20 milhões em Grândola

Franceses da Lauak investem 20 milhões em Grândola

O director-geral da Lauak Portugal, Armando Gomes, esteve reunido na quinta-feira passada com o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, para apresentar o projecto de investimento que vai criar mais 100 postos de trabalho qualificados.
Franceses da Lauak investem 20 milhões em Grândola
Bruno Simao
Celso Filipe 20 de agosto de 2017 às 21:00

Os franceses da Lauak, uma empresa da indústria da aviação, preparam-se para investir 20 milhões de euros numa fábrica em Grândola, distrito de Setúbal, destinada ao fabrico de componentes para aviões. A Lauak já comprou os terrenos, na zona industrial deste concelho do litoral alentejano, tendo mesmo constituído, em Março do ano passado, a sociedade anónima Lauak Grândola.

No registo comercial desta sociedade é indicada como actividade principal o "estudo, desenvolvimento, fabrico e montagem de peças e componentes para a indústria aeronáutica e peças metálicas para aplicações industriais".

Os representantes da Lauak Portugal estiveram reunidos na quinta-feira, 17 de Agosto, no palácio da Horta Seca, com o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, para lhe darem conta deste projecto.

Fonte oficial do gabinete do ministro da Economia, contactada pelo Negócios, escusou-se a confirmar o encontro, limitando-se ao seguinte comentário: "sabemos do processo e do interesse neste investimento".

100 postos de trabalho qualificados

A Lauak Grândola poderá contar com os incentivos habitualmente concedidos a investimentos desta dimensão, de natureza financeira, fiscal, ao emprego e à formação.

O Negócios sabe ainda que o processo se encontra em fase adiantada, tendo a Lauak recorrido aos serviços de uma empresa de recrutamento para contratar pessoal para esta unidade industrial. A Lauak Grândola irá criar mais de 100 postos de trabalho altamente qualificados.

Além desta unidade industrial, a Lauak Portugal possui em Grândola uma empresa vocacionada para actividades turísticas, denominada Ama Lur Enoturismo.

Lucro de 3,6 milhões em 2016

Criada em 2003 por Jean Marc Charritton, presidente do grupo francês, a Lauak Portugal já tem fábricas em Setúbal, onde produz componentes para a Airbus e Embraer, entre outras construtoras, e  Évora, onde se encontra em fase de instalação. Prepara-se agora para alargar sua rede industrial a Grândola.  O director da Lauak Portugal é Armando Gomes,  a quem coube a apresentação deste novo projecto de investimento ao  ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral. Na foto colocada no Facebook a ilustrar este momento surge a seguinte legenda: "novos projectos, dia 1".

A Lauak Portugal registou, em 2016 um volume de negócios de 22,1 milhões de euros, mais 65,66% por comparação com 2015, e um resultado líquido de 3,6 milhões de euros, mais 88% do que no ano anterior. A empresa exporta 94% da sua produção, com destino a mercados externos comunitários.  A unidade de Setúbal, localizada no Blue Biz Global Parques, emprega 369 pessoas
O grupo Lauak foi criado em 1975 em França e tem instalações em Toulouse e Biarritz.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 dia

Obrigado troika.

comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias

Sabemos do processo e do interesse desse investimento, isto diz quem conhece o caso, e esta noticia tem (3) semanas sem outros desenvolvimentos. Vamos esperar sentados para o equilíbrio total.

Anónimo Há 1 semana

De promessas está o inferno cheio .....mas será que não pediram isenções fiscais até ao ano 2100 ?

pertinaz Há 17 horas

E O QUE PEDEM EM TROCA...???

Anónimo Há 1 dia

Obrigado troika.

pub