Telecomunicações Francisco Lacerda deixa de acumular funções de “chairman” e CEO dos CTT

Francisco Lacerda deixa de acumular funções de “chairman” e CEO dos CTT

A proposta para os novos órgãos sociais da empresa indica António Gomes Mota como “chairman” dos CTT e Francisco de Lacerda como vice-presidente, mantendo-se como CEO. Manuel Champalimaud não integra a lista.
Francisco Lacerda deixa de acumular funções de “chairman” e CEO dos CTT
Sara Ribeiro 07 de fevereiro de 2017 às 19:32

O mandato dos órgãos sociais dos CTT terminou no final de 2016. Nesse seguimento, a Comissão de Governo Societário divulgou a proposta da nova lista dos membros do conselho de administração da empresa para o mandato que inicia em 2017.

A proposta traz algumas alterações como a separação dos cargos de "chairman" e de CEO até agora ocupados por Francisco de Lacerda. De acordo com a proposta divulgada esta terça-feira à CMVM, António Gomes Mota passará a ocupar a função de presidente do Grupo.

Até agora, António Gomes Mota era vice-presidente, função que será transferida para Francisco de Lacerda, que se manterá como presidente executivo – cargo que ocupa desde 2012.

Manuel Castelo-Branco, até aqui vice-presidente do conselho de administração dos CTT, não integra a lista dos nomes para o mandato 2017-2020.

A lista, que será votada na próxima assembleia-geral de accionistas no dia 20 de Abril, mantém André Gorjão Costa como membro executivo do CA e CFO dos CTT. Dionizia Ferreira, Nuno Fernandes Thomaz, Rui Horta e Costa, José Baptista Fino e Céline Abecassis-Moedas também se mantêm como administradores não executivos.

No entanto, há cinco novas entradas para o conselho de administração, entre as quais a de João Bento, vice-presidente da Gestmin, para administrador não executivo. Já o nome de Manuel Champalimaud, presidente da Gestmin e accionista dos CTT, não integra a lista proposta pela Comissão de Governo Societário, Avaliação e Nomeações (CGSAN), assinada por António Gomes Mota, Rui Horta e Costa e José Baptista Fino. A CGSAN, é "constituída no seio do conselho de administração da empresa e exclusivamente composta por administradores não executivos", segundo o mesmo documento

 

António Pedro Silva (director da rede de lojas dos CTT), Francisco Simão (director de estratégia e desenvolvimento dos CTT) são dois dos novos nomes propostos para membros não executivos do CA.

Já Luísa Anacoreta Correia e Belén Amatriani Corbi concluem as novas entradas, tendo os seus nomes sido propostos para administradoras não executivas do CA. O nome da primeira responsável foi apontado também para presidente do Comissão de Auditoria.

Com a estrutura recomendada pela Comissão de Governo Societário a empresa atinge "um objectivo de 30% do género feminino desde o início deste mandato".

Até à designação dos novos órgãos sociais, "os actuais membros mantêm-se plenamente em funções".


(notícia actualizada às 19:52 com mais informação)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Farto destes CEO de vão de escada Há 2 semanas

Metam jovens corram com estes parasitas

Anónimo Há 2 semanas

Aquilo que tanto se tem dito aqui, CTT tem ter plano restruturação profundo, juntando centros distribuição, deminuir contratação, e reaproveitar os desocupados, exemplo de má gestão é nos Açores, juntar CDP,s dimunir estruturas físicas, forte contenção gastos, menos chefias mais distribuidores, CTT

joaoaviador Há 2 semanas

A dança continua. Mas não há para aí gente "nova" com "bagagem" para estas coisas?

Anónimo Há 2 semanas

Ó Lacerda vai dar b a nh o ao cão! Se n iniciarem rapidamente um plano de fundo de reestruturação organizacional da empresa, Bye bye CTT

pub