Tecnologias Funcionários da Uber lançam petição para pedir regresso de Travis Kalanick

Funcionários da Uber lançam petição para pedir regresso de Travis Kalanick

Menos de 48 horas após a demissão de Travis Kalanick da liderança da Uber, os funcionários da empresa pedem o seu regresso. Porque acreditam “que ele pode evoluir para o líder que a Uber hoje precisa e acredito que ele é crítico para o seu sucesso futuro”.
Funcionários da Uber lançam petição para pedir regresso de Travis Kalanick
Reuters

Os investidores pressionaram Travis Kalanick para deixar o cargo de CEO da Uber. Mas funcionários da empresa não partilham desta visão. Por isso, e de acordo com o site Recode, foi criada uma petição que pede o regresso de Kalanick.

"Ninguém é perfeito mas fundamentalmente acredito que ele [Travis Kalanick] pode evoluir para o líder que a Uber hoje precisa e acredito que ele é crítico para o seu sucesso futuro", pode ler-se no e-mail da petição. "Quero que a administração ouça dos funcionários da Uber que eles tomaram a decisão errada ao pressionarem Travis para sair e que ele deve ser reintegrado no seu papel operacional", acrescenta.

Esta não é a única manifestação pública contra a saída de Kalanick. A Recode cita a gestora de produto Margaret-Ann Seger que, no Facebook, disse estar "zangada, triste, abalada, confusa e sobretudo com o coração partido".

Depois da saída de Kalanick, a administração da Uber enviou um email aos funcionários, onde dizia que queria que todos os funcionários "soubessem que ele [Kalanick] não tomou esta decisão de ânimo leve". "Sair agora foi a sua forma de colocar a Uber primeiro, como sempre fez. O Travis deu mais a esta empresa que qualquer outra pessoa".

Investidores conduzem Travis Kalanick

Travis Kalanick demitiu-se do cargo de CEO da Uber, por pressão dos accionistas, esta quarta-feira, 21 de Junho.

Segundo a publicação, cinco dos principais investidores da Uber exigiram a demissão imediata do presidente executivo, incluindo a empresa de capital de risco Benchmark Capital, que tem um dos seus parceiros, Bill Gurley, no conselho de administração da Uber.


A exigência foi feita através de uma carta dirigida a Kalanick, a que o The New York Times teve acesso. Na missiva intitulada "Moving Uber Forward", os investidores dizem a Kalanick que deve abandonar imediatamente o cargo, na medida em que a empresa precisa de uma nova liderança. De acordo com a publicação, depois de longas discussões com alguns dos investidores, Kalanick decidiu aceder ao pedido, embora se vá manter no conselho de administração da Uber.

"Amo a Uber mais do que qualquer outra coisa no mundo, e neste momento difícil da minha vida pessoal decidi aceitar o pedido dos investidores para me afastar para que a Uber se possa desenvolver em vez de se envolver noutra luta", afirmou Kalanick, em comunicado. 

A notícia surgiu uma semana depois de Travis Kalanick ter solicitado uma licença sem vencimento, na sequência de uma série de escândalos de assédio, discriminação e cultura agressiva, que o envolvem e ele e a outros gestores.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Os signatários desta petição devem ser os gajos que deixaram de poder assediar as jovens subordinadas.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub