Empresas Fundador da KidZania dá a mão à Imaginarium

Fundador da KidZania dá a mão à Imaginarium

Um grupo de investidores liderado por Xavier Lopez Ancona, o mexicano fundador do conceito KidZania, vai colocar 8,5 milhões de euros na rede de lojas de brinquedos. Primeiro concede um empréstimo-ponte, depois segue-se a reestruturação.
Fundador da KidZania dá a mão à Imaginarium
DR/Jane White
Paulo Zacarias Gomes 24 de julho de 2017 às 14:45

Um consórcio liderado pelo fundador e administradores da empresa mexicana KidZania dispõe-se a contribuir com 8,5 milhões de euros para a operação de reestruturação da cadeia de lojas de brinquedos Imaginarium.

O princípio de acordo foi alcançado na quinta-feira passada e dado a conhecer esta segunda-feira, 24 de Julho. O valor agora arrecadado, no âmbito do entendimento que conta com luz verde dos credores financeiros, será aplicado na reestruturação da dívida e na injecção de liquidez para viabilizar os planos de negócio da empresa.

Para já, fica estabelecido um empréstimo-ponte de 4,5 milhões de euros para que a empresa continue em actividade enquanto decorrem as negociações entre todas as partes envolvidas, conversações que a empresa espera estarem concluídas em Setembro.

Felix Tena, presidente da empresa, considerou num comunicado enviado ao mercado que esta solução é "transcendente", desde logo porque estabelece as bases principais do processo de reestruturação, envolve todos os bancos credores e permite um balão de oxigénio inicial de 4,5 milhões de euros.

O valor deste empréstimo-ponte concedido pelo grupo de empresários liderado por Xavier Lopez Ancona está incluído nos 8,5 milhões de euros de financiamento total. Se a reestruturação da cadeia espanhola de lojas de brinquedos não vier a ocorrer, a Imaginarium terá de devolver o apoio financeiro no espaço de seis meses.

O acordo fica dependente da manutenção de um tecto de dívida de até 10,5 milhões de euros, bem como de um calendário de amortização da dívida sénior. Os avales financeiros existentes serão prolongados por três anos e o custo da dívida deverá ser adequado à nova situação da empresa.

A rede de lojas tinha sobre a mesa uma outra oferta, apresentada pelo fundo PHI e em negociação desde Maio, mas que não foi aceite pelos bancos.

De acordo com o site da empresa, a Imaginarium tem 414 pontos de venda em 29 países. Em Portugal, de acordo com o mesmo site, existem 25 lojas em 11 distritos. Também a KidZania tem presença no mercado nacional, com um parque temático instalado no centro comercial Dolce Vita Tejo, na Amadora.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 24.07.2017

ÓH JOHNY
ONDES COMPRAS BRINQUEDOS ? NAS LOJAS DOS CHINESES OU DOS INDIANOS ??!?

Johnny 24.07.2017

Briquedos feitos na china por migalhas vendidos por balúrdios
Para pagar rendas criminosas dos centros comerciais e os ordenadões de leão dos donos
VAO PARA A PTA QUE VOS PRIU !
Devem pensar que o dinheiro não custa a ganhar !
Toys r us é mm mrda... nunca lá ponho os pés

pub