Empresas Fundo canadiano compra maioria da dona da Servilusa

Fundo canadiano compra maioria da dona da Servilusa

O fundo de pensões canadiano Ontario Teachers adquiriu uma posição maioritária na espanhola Mémora, que detém a 100% a portuguesa Servilusa.
Fundo canadiano compra maioria da dona da Servilusa
Joaquim José/Correio da Manhã
Carla Pedro 19 de julho de 2017 às 23:06

O Ontario Teachers' Pension Plan comprou à capital de risco britânica 3i uma participação maioritária, por 450 milhões de euros, na funerária Mémora, que gere o seu negócio em Espanha e em Portugal – por cá, através da Servilusa –, avançou o website espanhol 20minutos.

A operação marca assim a entrada do maior fundo de pensões de um grupo profissional – neste caso, professores – do Canadá no mercado funerário espanhol e português.

O Ontario Teachers não é novo nesta área, uma vez que é o principal accionista do OGF, maior grupo funerário francês que controla a Pompes Funèbres Générales, refere por seu lado o La Vanguardia.


O grupo britânico de capital de risco 3i entrou na Mémora em 2008, recorda o 20minutos, acrescentando que em 2011 a empresa espanhola de serviços funerários reforçou a sua posição na Serveis Funeraris de Barcelona, para 85%, "consolidando assim a sua posição de liderança".

Além disso, a Mémora concluiu diversas aquisições em Espanha e Portugal, como foi o caso da Agnus Dei em 2015, acrescenta.

Por seu turno, o fundo Ontario Teachers, com sede em Toronto e com representações em Hong Kong, gere as pensões dos 318.000 docentes activos e reformados da província canadiana de Ontário.

No entender do CEO da Mémora, Juan Jesús Domingo, esta operação constitui um novo desafio para a empresa. "A Mémora consegue atrair a atenção de reconhecidos investidores internacionais. Estamos muito satisfeitos com a oportunidade de trabalhar a par com a fantástica equipa do Ontario Teachers, com a qual partilhamos a visão do futuro do nosso sector, afirmou Domingo no comunicado conjunto de ambas as empresas, citado pelo 20minutos.

Em Espanha, a Mémora explora e gere 130 empresas funerárias, 129 morgues, 26 crematórios e 23 cemitérios, contando com 1.250 trabalhadores no país.

Em Portugal também lidera o sector funerário, através da Servilusa – que conta com 300 profissionais –, onde o grupo foi pioneiro na construção das primeiras morgues e crematórios em Elvas, Figueira da Foz e Cascais.

A Servilusa é detida a 100% pela Mémora, cuja totalidade do capital pertencia – antes da operação hoje anunciada – à 3i. "Em 2001, a 3i decidiu unir as sociedades funerárias portuguesas SCI e EuroStewart e espanholas na maior empresa funerária da península Ibérica, a Mémora", salienta a Servilusa no seu website.

Assim, a Servilusa resulta da união das sociedades funerárias portuguesas (SCI e EuroStewart) e espanholas, que deram origem à maior empresa de serviços funerários da Península Ibérica, a Mémora, tornando-se igualmente um dos maiores grupos funerários a nível europeu. Em Espanha, a Mémora realiza cerca de 46.000 serviços funerários por ano, e em Portugal, com a Servilusa, cerca de 6.000.

A Mémora tem uma facturação próxima dos 200 milhões de euros por ano e o Ontario Teachers' Pension Plan gere activos no valor de cerca de 121.000 milhões de euros, destaca o La Vanguardia.



(notícia actualizada às 00:11 de quinta-feira, 20 de Julho)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub