Energia Fundo participado por chineses da TAP sem participação qualificada na REN

Fundo participado por chineses da TAP sem participação qualificada na REN

O fundo OMAM Inc tinha informado o mercado que detinha uma participação qualificada na REN, mas agora diz que só tem 1,49%.
Fundo participado por chineses da TAP sem participação qualificada na REN
André Cabrita-Mendes 02 de novembro de 2017 às 18:26

O fundo OMAM Inc não tem uma participação qualificada na REN. O fundo de gestão de activos norte-americano tinha informado o mercado no dia 10 de Outubro que tinha passado a deter mais de 2% do capital da transportadora de electricidade e de gás natural.

Mas agora o OMAM Inc, que pertence ao fundo britânico OM Asset Management (OMAM) veio esclarecer que, afinal, detém apenas 1,49% da empresa liderada por Rodrigo Costa.

Desta forma, a OMAM Inc "não detém qualquer participação qualificada na REN, alterando a informação anteriormente comunicada ao mercado e ao público em geral pela REN em 10 de Outubro", diz a REN no comunicado divulgado esta quinta-feira, 2 de Novembro.

O OMAM é detida em 25% pelos accionistas chineses da TAP, o HNA Group. A empresa chinesa entrou no capital do OMAM em Março, depois de investir 446 milhões de dólares (378 milhões de euros) para comprar um quarto do fundo, conforme avançou então a Bloomberg.

O HNA Group entrou na TAP este ano através da entrada no capital do consórcio Atlantic Gateway que detém 45% da transportadora. O HNA detém 5,6% deste consórcio, passando assim a deter 2,52% do capital da companhia aérea.

Além da TAP e da OMAM, o conglomerado chinês tem feito vários outros investimentos, como a compra de 10% do banco alemão Deutsche Bank.

O maior accionista da REN é a empresa estatal chinesa China State Grid, que detém 25% do capital da energética. Segue-se a Oman Oil com 15% do capital. Os direitos de voto na REN estão limitados a 25% do total do capital da REN.



pub