Energia Fusão EDP-Gas Natural foi notícia há 11 anos

Fusão EDP-Gas Natural foi notícia há 11 anos

A 2 de Outubro de 2006, o jornal espanhol El Mundo avançava que a EDP teria proposto à Gas Natural uma fusão amigável. A notícia foi desmentida no próprio dia pelo ministro da Economia, Manuel Pinho, e pelo CEO da eléctrica nacional, António Mexia.
Fusão EDP-Gas Natural foi notícia há 11 anos
Negócios 03 de julho de 2017 às 20:40

A Reuters avançou hoje que a Gas Natural está a abordar a EDP para uma fusão entre as duas companhias, numa operação que já foi pensado no passado. No próximo dia 2 de Outubro fará 11 anos que correu a notícia de que a EDP estava a abordar, através do seu accionista Estado, a espanhola Gas Natural no sentido de avançarem para uma fusão amigável e criarem uma grande empresa ibérica no valor de 30 mil milhões de dólares.

A proposta, avançada pelo El Mundo, teria sido apresentada pelo então ministro da Economia e Inovação, Manuel Pinho, que uma semana antes teria estado reunido com o presidente da Repsol YPF, e também vice-presidente da Gas Natural, Antoni Brufau.


O vice-presidente da Gas Natural, segundo o jornal espanhol, teria dito a Pinho que o maior "inconveniente" à fusão seria a posição que o Estado português detinha na eléctrica nacional.


O El Mundo sublinhava ainda que o governo espanhol veria com bons olhos esta união, desde que o Estado português saísse da EDP, onde controlava 20,49% do capital.


No próprio dia, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) instou o ministro da Economia a esclarecer a notícia e, em comunicado conjunto, os ministérios da Economia e Finanças desmentiram essainformação, afirmando que era "100% falsa" a discussão de uma eventual fusão com a Gas Natural ou com outra empresa espanhola. 


"A notícia veiculada hoje pelo jornal espanhol El Mundo sobre o Ministro da Economia e da Inovação ter discutido a possibilidade de fusão entre a EDP e a Gás Natural ou outra empresa espanhola é 100% falsa", referia o comunicado conjunto dos ministérios da Economia e das Finanças.


Também o CEO da EDP, António Mexia, afastou o cenário de fusão, dizendo que era "puramente especulativo" e negando quaisquer contactos de aproximação entre as duas empresas. Mas isso não impediu a EDP de disparar em bolsa, tendo atingido máximos de seis anos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub