Fundos de investimento Fusão da Janus e Henderson cria gestora de 5,3 mil milhões de euros

Fusão da Janus e Henderson cria gestora de 5,3 mil milhões de euros

A gestora norte-americana de activos Janus Capital e a londrina Henderson Global Investors anunciaram uma fusão. Esta operação ronda os 5,3 mil milhões de euros e visa cortar custos e melhorar o seu alcance mundial.
Fusão da Janus e Henderson cria gestora de 5,3 mil milhões de euros
Reuters
Ana Laranjeiro 03 de Outubro de 2016 às 16:17

A Janus Capital, fundo de gestão de activos norte-americano liderado por Richard Weil (na foto), e a rival londrina Henderson Global Investors anunciaram uma fusão, no valor de seis mil milhões de dólares, cerca de 5,3 mil milhões de euros. Nasce assim a Janus Henderson Global Investors. A fusão entre as duas firmas, de acordo com a Reuters, tem por objectivo cortar custos e melhorar o alcance mundial da empresa.

As duas firmas em conjunto passam assim a ter a seu cargo a gestão de activos de mais de 320 mil milhões de dólares, 284,5 mil milhões de euros, de acordo com a informação divulgada pelas firmas e citada pela agência noticiosa. Esta operação ocorre numa altura em que as empresas de pequena e média dimensão do segmento da gestão de activos procuram ganhar escala, agilizando operações e apostando na diversificação com o objectivo de proteger as margens.

Christopher Harris, analista da Wells Fargo Securities numa nota de research citada pela mesma fonte, adianta que "há pouca sobreposição entre as duas empresas" dado que a Janus "tem uma forte presença nos EUA e no Japão e a Henderson tem forte presença no Reino Unido e na Europa Continental".

Por sua vez, Paul McGinnis, analista da Shore Capital, numa nota aos clientes, citada pela Reuters, afirmou que encara a operação como "um movimento positivo com bases de activos complementares".

É expectável que os accionistas da Henderson e da Janus tenham aproximadamente 57% e 43%, respectivamente, das acções da Janus Henderson Global Investors. A fusão deve estar concluída no segundo trimestre do próximo ano. A operação está sujeita a aprovações regulatórias.

O jornal britânico The Guardian escreve que esta operação representa o maior negócio de sector da gestão de activos desde o Brexit. Além disso, a Janus Henderson Global Investors vai ter uma sede em Londres, algo que está a ser encarado como um sinal que a "City londrina continua a estar no coração do sistema financeiro mundial". Desde o que o Reino Unido decidiu, em referendo, deixar a União Europeia que várias personalidades internacionais têm apontado que o centro financeiro na capital britânica pode perder importância. 

Andrew Formica, presidente da Henderson, citado pelo jornal britânico, assinalou que "Londres continua a actuar como o coração do sistema financeiro mundial e como um pivô entre os Estados Unidos e a Ásia, numa perspectiva de 10 a 15 anos". "O debate sobre o Brexit vai ser visto como uma gota no oceano no calendário do nosso negócio", disse ainda. 

Por esta altura, as acções da Janus Capital Group negociadas em Nova Iorque somam 13,36% para 15,92 dólares. No entanto, durante a sessão já disparam 18,63% para 16,62 dólares.


Em Londres, os títulos da Henderson Global Investors avançam 16,38% para 270,00 libras. Porém, esta segunda-feira os títulos já dispararam 20,17% para 278,80 libras.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 03.10.2016


A MALTA DA ESQUERDA É COMPOSTA POR DOIS GRUPOS:

1 - Os LADRÕES (Inclui os FP e seus pensionistas): que andam a encher os bolsos à custa dos portugueses;

2 - Os BURROS: que ajudam os anteriores a roubar o povo, em nome da ideologia.

comentários mais recentes
Anónimo 03.10.2016


PS ROUBA A VIDA A 500.000 TRABALHADORES

FP – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES DO PRIVADO

OS FP DEVEM ESTAR MOTIVADOS APENAS POR TER EMPREGO!

Pois estão bem melhor do que as vítimas do SOCRATES GATUNO que endividou o país até à bancarrota, para pagar salários e pensões da FP…

Lançando 500.000 trabalhadores no desemprego!

Anónimo 03.10.2016


A MALTA DA ESQUERDA É COMPOSTA POR DOIS GRUPOS:

1 - Os LADRÕES (Inclui os FP e seus pensionistas): que andam a encher os bolsos à custa dos portugueses;

2 - Os BURROS: que ajudam os anteriores a roubar o povo, em nome da ideologia.

pub