Automóvel Fuso apresenta camião 100% eléctrico produzido em Portugal

Fuso apresenta camião 100% eléctrico produzido em Portugal

A Mitsubishi Fuso divulgou no salão automóvel de veículos comerciais de Hanôver o seu modelo de terceira geração. Trata-se do primeiro camião totalmente eléctrico. A nova Fuso eCanter será produzida em Portugal.
Fuso apresenta camião 100% eléctrico produzido em Portugal
Negócios 12 de outubro de 2016 às 12:26

O sucessor da Fuso E-Cell apresenta melhorias em termos técnicos e estéticos, resultante de testes em ambiente real com o modelo de segunda geração e do feedback de parceiros em Portugal e na Alemanha.

 

A Fuso eCanter tem um motor eléctrico com a potência de 185kW e um binário de 380N.m. Através de um pack de baterias de 70 kWh, o camião possui uma autonomia de mais de 100 km. Este conjunto de baterias está disposto ao longo de todo o veículo. Em comunicado, a Fuso descreve que o modelo possui uma bateria debaixo da cabine e as restantes quatro em ambos os lados dos chassis.

 

Tratando-se de um veículo de 7,49 T equipado com uma série de baterias, o eCanter dispõe de 4,63 T de carga útil. O modelo pode ser munido de vários conjuntos de baterias combináveis, para que os clientes possam gerir a combinação autonomia-carga útil-preço de acordo com as necessidades de utilização. Em termos de carregamento o novo camião da Fuso também apresenta versatilidade. A empresa anunciou que os veículos podem ser carregados a 80% numa hora com recurso a um carregador rápido ou a 100% em sete horas numa tomada normal de corrente alternada.

 

Em termos estéticos, a Fuso garante um design "único" e "atractivo". O modelo de terceira geração apresenta um interior novo, com um tablet amovível no tablier. O eCanter possui ainda faróis LED e uma grelha e pára-choques dianteiros "diferenciados".

 

Para além de eliminar as emissões de CO2 e reduzir o ruído nas cidades, a Fuso pretende lançar a eCanter como uma "alternativa atractiva aos veículos a diesel". Um argumento de peso apresentado pela empresa é o preço competitivo, motivado pela redução do custo da tecnologia eléctrica. Em comunicado, a Fuso garante custos de operação inferiores quando comparados aos modelos idênticos a diesel, e que "qualquer custo adicional na aquisição será pago em 3 anos".

 

O modelo eCanter será produzido em Portugal, na unidade industrial do Tramagal. Os camiões serão entregues a clientes na Europa, Japão e Estados Unidos da América. A unidade da Fuso no país serve geralmente todos os mercados europeus, Marrocos e Turquia. Com mais de 40 anos de experiência no ramo das tecnologias eléctricas, a empresa é actualmente líder na produção de veículos comerciais ambientalmente responsáveis.


A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG 12.10.2016

Bom, creio que falta que toda a carroceria e cabine sejam revestidas com paineis fotovoltaicos para que as baterias estejam em recarga permanente quando ao sol. Lá chegaremos.

Em vez de parques com hectares de paineis solares todos alinhados, lá chegaremos ao tempo em que serão os próprios revestimentos exteriores de edifícios e veículos a captar o sol e a armazená-lo em baterias, para consumos próprios.

comentários mais recentes
JCG 12.10.2016

Bom, creio que falta que toda a carroceria e cabine sejam revestidas com paineis fotovoltaicos para que as baterias estejam em recarga permanente quando ao sol. Lá chegaremos.

Em vez de parques com hectares de paineis solares todos alinhados, lá chegaremos ao tempo em que serão os próprios revestimentos exteriores de edifícios e veículos a captar o sol e a armazená-lo em baterias, para consumos próprios.

Gonçalo Taipa Teixeira 12.10.2016

Óptimo para atropelamentos.

Camponio da beira 12.10.2016

Tanto dinheiro gasto inutilmente.Ou eu percebi mal ou o camião só tem autonomia de 100 km.Ora ninguém compra um veiculo de carga para parar 1 hora por cada hora de trabalho.

Aarão Zarco 12.10.2016

Os produtores de petróleo já devem estar a suar...

pub