Media Futuro de Euronews passa por Bruxelas e NBC

Futuro de Euronews passa por Bruxelas e NBC

Bruxelas decidiu renovar por mais quatro anos a parceria com a Euronews, que inclui apoios financeiros de cerca de 24,7 milhões de euros para 2017. A decisão decorreu depois da Comissão Europeia ter sido informada em Dezembro do acordo do canal com a NBC.
Futuro de Euronews passa por Bruxelas e NBC
Bloomberg
Sara Ribeiro 15 de fevereiro de 2017 às 22:19
A NBC Universal, do grupo de media norte-americano Comcast Corp, está a ultimar a aquisição de uma fatia de 25% na Euronews. A operação, noticiada na quarta-feira pela Reuters, será feita através de dois aumentos de capital. O primeiro, pode chegar aos 30 milhões de dólares (28,3 milhões de euros).

A eventual entrada da NBC como accionista no canal de notícias europeu já tinha sido comunicada Comissão Europeia em Dezembro. Como explicou ao Negócios Nathalie Vandystadt, porta-voz da iniciativa do Mercado Único Digital, "a Comissão foi informada em Dezembro pela Euronews sobre um acordo alcançado com o canal de notícias norte-americano NBC Universal, através do qual este último se tornaria accionista da Euronews".

Aliás, foi neste contexto que o Colégio de Comissários discutiu a renovação da parceria, bem como de financiamento, à Euronews, acrescentou a mesma fonte.

No final da reunião que decorreu na terça-feira à tarde em Estrasburgo, "o Colégio decidiu renovar sua parceria com a Euronews para os próximos quatro anos, bem como apoio financeiro para 2017".

Para Bruxelas, estas decisões "são importantes para a Euronews, e especialmente para os seus jornalistas e todo o quadro de pessoal", tendo em conta "o contexto de incerteza sobre o futuro da cadeia expressados pelos funcionários".

Além disso, "também são muito importantes no clima político actual onde é necessário, mais do que nunca, garantir uma pluralidade de fontes de informação. Não nos esqueçamos de que a Euronews é transmitido além das fronteiras da Europa e permite a distribuição de informação independente e crítica sobre a Europa no mundo e em 13 idiomas", sublinha o gabinete dedicado à implementação da estratégia do mercado único digital, onde se insere a temática da Euronews.

O apoio financeiro de Bruxelas ao canal é revisto anualmente. Para este ano, o montante deve alcançar os mesmos valores de 2016, cerca de 24,7 milhões de euros.

Além deste valor, o canal vai contar agora com o investimento da NBC, que com esta operação entra no Velho Continente.
A mesma fonte da Comissão detalhou que a Eunonews garantiu a Bruxelas, por escrito, "que o acordo com a NBC não afectará a qualidade da produção de notícias nem terá consequências negativas e directas ao nível dos quadros de pessoal".

Porém, a Comissão deixa o aviso que "pode retirar-se [da parceria] a qualquer momento em caso de violação grave das garantias prestadas pela Euronews e/ou qualquer outra circunstância estabelecida no contrato". 

A Euronews nasceu em 1993, fruto de um consórcio de canais públicos europeus. Em 2015, decidiram abrir o capital a privados, tendo o bilionário egípcio Naguib Sawiris ficado com 53% do capital. Segundo a Reuters, Sawiris deverá continuar a manter uma participação de controlo no canal.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub