Empresas Gabriel Couto ganha 14 milhões com “Casa para Todos” em Cabo Verde

Gabriel Couto ganha 14 milhões com “Casa para Todos” em Cabo Verde

A construtora Gabriel Couto facturou 14 milhões de euros com projecto “Casa para Todos - Praia 10”, lançado pelo governo de Cabo Verde e que visou a construção de 390 habitações na cidade da Praia.
Gabriel Couto ganha 14 milhões com “Casa para Todos” em Cabo Verde
O governo cabo-verdiano adjudicou à Gabriel Couto a construção de 390 habitações por 14 milhões de euros.
Rui Neves 16 de outubro de 2017 às 10:54

A Gabriel Couto, que fechou o último exercício com uma facturação de 100 milhões de euros, dos quais 60% nos mercados externos, quer aumentar este ano o peso das suas receitas internacionais para dois terços de um total previsto da ordem dos 140 milhões de euros.

 

Uma das últimas empreitadas concluídas por esta construtora de Famalicão no estrangeiro ocorreu em Cabo Verde, onde o Governo deste país, através do seu Ministério do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território, adjudicou à Gabriel Couto o projecto "Casa para Todos - Praia 10", situado em Palmarejo Grande, cidade da Praia, na ilha de Santiago.

 

"Com o objectivo de suprir o défice habitacional, o governo de Cabo Verde negociou uma linha de crédito junto do governo Português para garantir a concretização deste projecto, cujo valor total ronda os 14 milhões de euros", detalhou a empresa, em comunicado.

 

O "Casa para Todos" consistiu na construção de 390 habitações de tipologia T2 e T3, divididas pelas classes B e C, destinadas a famílias de rendimentos mais elevados, assim como 24 espaços comerciais, zonas de lazer e de estacionamento para os moradores, salas de condomínio, arranjos exteriores com parques infantis, uma praça miradouro com estacionamento de apoio, entre outras infra-estruturas.

 

"Dado tratar-se de um arquipélago, grande parte das matérias-primas para materializar a obra são importadas, o que implicou cuidados redobrados para optimizar a logística, assentes numa preparação e planeamento rigorosos e numa interacção diária com o departamento de logística e transportes da Gabriel Couto sediada em Vila Nova de Famalicão", refere a empresa

 

"De resto, devido ao processo burocrático a que são sujeitas as operações de importação, os diversos materiais têm um percurso de quase um mês entre a saída de Portugal e a chegada à obra em Cabo Verde", frisou a Gabriel Couto, empresa detida pela família Couto.

 

De referir que, em Abril passado, a construtora tinha anunciado a sua entrada no mercado da América Latina, com um novo projecto internacional nas Honduras, onde o governo local lhe adjudicou a reabilitação de 82 quilómetros de estradas, numa obra avaliada em 85 milhões de dólares (72 milhões de euros).

(Notícia actualizada às 16:50 do dia 17 de Outubro com a informação de que esta obra foi já concluída pela Gabriel Couto.)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub