Tecnologias Galaxy Note 7 leva Samsung a cortar perspectivas para lucros e vendas

Galaxy Note 7 leva Samsung a cortar perspectivas para lucros e vendas

A Samsung reviu as suas perspectivas de lucros e vendas no terceiro trimestres. Decisão da empresa sul-coreana reflecte efeitos do cancelamento do Galaxy Note 7.
Galaxy Note 7 leva Samsung a cortar perspectivas para lucros e vendas
DR Samsung
Ana Laranjeiro 12 de Outubro de 2016 às 09:14

A Samsung cortou as suas perspectivas para os lucros operacionais e para as vendas no terceiro trimestre do ano, segundo a Bloomberg. Esta decisão surge precisamente depois da marca ter decidido suspender a venda do Galaxy Note 7.


Num documento regulatório da empresa, citado pela agência, a sul-coreana admite que os lucros vão ascender a 5,2 biliões de won coreanos – cerca de 4,1 mil milhões de euros – contra os 7,8 biliões de won (mais de 6 mil milhões de euros) anteriormente estimados. As receitas da empresa vão ser de 47 biliões de won (cerca de 41 mil milhões de euros). Anteriormente era estimado que as receitas atingissem os 49 biliões de won (mais de 43 mil milhões de euros).


Graças ao caso das baterias que explodem, e que tem vários capítulos, a Samsung vive possívelmente uma das fases mais conturbadas da sua história. A Samsung quis lançar no mercado o seu novo topo de gama – o Galaxy Note 7 – antes da Apple ter apresentado o seu novo iPhone porque tinha ouvido rumores que o modelo da norte-americana não trazia grandes inovações. A empresa sul-coreana viu isso como uma oportunidade, de acordo com notícias que surgiram em Setembro.

A tecnológica asiática decidiu assim acelerar o lançamento do novo smartphone, considerando que este dispositivo iria deslumbrar os consumidores e poderia capitalizar a oportunidade, contaram fontes à agência noticiosa. Fornecedores foram pressionados com prazos mais apertados apesar do Galaxy Note 7 ter novas características face aos modelos anteriores.

Mas nada correu como o esperado. A explosão das baterias do Note 7 correu mundo e depois de vários episódios, a empresa decidiu esta semana suspender a produção deste equipamento e a sua comercialização.


Esta quarta-feira, 12 de Outubro, esta história conhece um novo capítulo com a empresa a rever as suas perspectivas devido aos efeitos do cancelamento deste dispositivo.


As acções da Samsung, depois de na última sessão terem tombado mais de 8%, nesta quarta-feira encerraram a descer 0,65% para 1.535,000 won.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub