Empresas Galaxy Note 7 sai caro à Samsung: pelo menos 4.800 milhões de euros

Galaxy Note 7 sai caro à Samsung: pelo menos 4.800 milhões de euros

Os custos serão repercutidos no actual e no próximo trimestre. Um analista do Nomura antecipa que o efeito nas contas da tecnológica se prolongue durante o próximo ano, a penalizar os lucros operacionais.
Galaxy Note 7 sai caro à Samsung: pelo menos 4.800 milhões de euros
REUTERS
Paulo Zacarias Gomes 14 de Outubro de 2016 às 07:54

Os problemas com um dos produtos estrela da Samsung, que obrigaram a interromper o fabrico do smartphone Galaxy Note 7, deverão passar uma factura pesada à tecnológica sul-coreana.

Até Março do próximo ano, a empresa espera ter de inscrever nas suas contas custos totais de 5.300 milhões de dólares (4.800 milhões de euros à conversão actual), depois de se ter visto forçada a cancelar a produção na sequência do sobreaquecimento e incêndio de alguns equipamentos, incluindo os de substituição.

Deste valor, 2,72 mil milhões incluem o impacto nos lucros operacionais do actual trimestre e nos primeiros três meses de 2017, a que acrescem mais de dois mil milhões a imputar ao trimestre anterior. 

À Bloomberg, o analista Chung Chang Won, do Nomura, estimou que a interrupção de produção penalizará os lucros operacionais da companhia em 4,53 mil milhões de euros durante 2017.

A empresa deverá tentar compensar o impacto negativo do caso com um aumento das vendas no negócio de semicondutores e a aposta em modelos como o Galaxy S7 e o Galaxy S7 Edge.

As acções da tecnológica provam esta sexta-feira a segunda sessão consecutiva de ganhos, a somar 1,73% para 1,584 milhões de won sul-coreanos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub