Empresas Gestores conseguem maioria na SDC que permite saneamento financeiro

Gestores conseguem maioria na SDC que permite saneamento financeiro

A conversão de créditos da Investéder sobre a SDC Investimentos foi aprovada, reforçando o capital da empresa. A sociedade que pertence aos gestores ficará com mais de 90% da accionista da Soares da Costa.
Gestores conseguem maioria na SDC que permite saneamento financeiro
Cátia Barbosa/Negócios
Diogo Cavaleiro 12 de dezembro de 2017 às 18:15

"Por unanimidade". Foi assim que, em assembleia-geral, os gestores da SDC Investimentos conseguiram a aprovação da proposta de conversão de créditos que lhes dará maior poder para determinar o saneamento financeiro daquela sociedade, accionista minoritária da Soares da Costa Construções.

 

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a SDC Investimentos informa que "foi aprovado um aumento de capital" na SDC Investimentos, "a subscrever pela Investéder", sociedade que pertence a António Castro Henriques (na foto) e a Gonçalo Andrade Santos, gestores da empresa que está, agora, centrada no sector imobiliário.

 

A operação é feita mediante uma conversão de 5,9 milhões de euros em créditos detidos pela Investéder, o que fará com que a participação accionista suba de 77% para mais de 90%, participação que, segundo as regras do Código de Valores Mobiliários, confere maior liberdade para operar diversas medidas, incluindo para retirar a sociedade de bolsa.

 

Neste momento, a SDC Investimentos – que tem um terço da Soares da Costa Construções – é detida, em 77% pela Investéder, posição que a empresa dos gestores da empresa conseguiu através da oferta pública de aquisição a 2,7 cêntimos e também por via de aquisições em bolsa. São cerca de 123 milhões de acções, do total de quase 160 milhões representativos do capital da sociedade, nas suas mãos.

 

Com o aumento de capital, serão emitidos mais 200 milhões de novas acções, que serão subscritas pela Investéder mediante a conversão de créditos, o que fará com o capital da SDC Investimentos seja representado por 380 milhões de títulos. Destes, 342 milhões serão imputáveis à Investéder, o que quer dizer que a empresa ficará com 90,32% do capital.

 

Os novos poderes

 

A administração da SDC, na proposta divulgada à CMVM aquando da convocatória da assembleia-geral, explicava que a Investéder poderia avançar para "a aquisição da totalidade das acções representativas do capital social" da SDC Investimentos, ou seja, chegar aos 100%. Assim, poder-se-ia "proceder a uma adequada capitalização da sociedade participada, designadamente mediante a utilização de créditos, pelo respectivo valor nominal, para a realização de prestações acessórias sob a forma de prestações suplementares, para aumento do capital social e/ou para cobertura de prejuízos".

 

Neste momento, a Investéder tem créditos de 130 milhões de euros sobre a SDC Investimentos (ainda incluindo os 5,9 milhões que serão convertidos no aumento de capital, caso haja aprovação). A SDC apresentava, em Junho um capital próprio negativo consolidado de 85 milhões de euros (desfazendo-se de todo o activo, ficariam responsabilidades neste momento por saldar). 

 

Alteração de estatutos aprovada

 

A mesma assembleia-geral de accionistas da SDC Investimentos aprovou a proposta da administração para a alterações de estatutos, designadamente retirando a indicação de que é uma sociedade gestora de participações sociais (SGPS). A SDC Investimentos passa a ter um objecto social distinto: "investimentos mobiliários e imobiliários, incluindo aquisições e alienação de créditos, prestação de serviços de gestão e coordenação de actividades de sociedades". Aliás, a empresa já investiu num palacete e numa start-up.


Outro dos pontos é a diminuição dos anos dos mandatos dos órgãos sociais, como a administração e a fiscalização, que passam a ser de dois anos e não de três, como até aqui. O número máximo de administradores também desce de 12 para cinco.

 

As acções da SDC Investimentos estão cotadas a 5,5 cêntimos, tendo recuado 5% face a ontem.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Joaquim sousa 12.12.2017

Boas
Como é que a Soares da Costa pode ter um prejuízo tão grande e recusa obras dando a outra empresa "centro cerro Angola " , para fazer essa obra em Angola de 280 milhões

pub