Empresas Gigante chinesa compra administradora do segundo maior porto do Brasil

Gigante chinesa compra administradora do segundo maior porto do Brasil

A gigante das operações portuárias China Merchants Port comprou 90% da empresa brasileira TCP Participações, que administra o porto de Paranaguá, o segundo maior porto do Brasil, informou a empresa sul-americana.
Gigante chinesa compra administradora do segundo maior porto do Brasil
Lusa 04 de setembro de 2017 às 21:43

Segundo um comunicado enviado ao mercado pela TCP, o acordo entre as duas companhias foi fechado por 2,89 mil milhões de reais (cerca de 770 milhões de euros) numa transacção que marcou a entrada do conglomerado chinês no mercado brasileiro.

 

Actualmente, a China Merchants Port é um dos maiores operadores portuários do mundo e a maior empresa do sector na China.

 

Até 2016, o grupo tinha investimentos em 28 portos e 188 docas de contentores, seis em construção, com capacidade para mover mais de 95,7 milhões de TEU (unidade padrão equivalente a um contentor de 20 pés) por ano.

 

Segundo um comunicado da empresa chinesa, o terminal de Paranaguá, o segundo maior do Brasil, depois de Santos, no Estado de São Paulo, é "um porto estratégico e bem localizado com uma forte área de influência económica e potencial crescimento para desenvolver negócios."

 

"A aquisição da TCP Participações é considerada um passo importante no plano do China Merchants Port para expandir os seus negócios e consolidar a sua posição à escala global", acrescentou a empresa.

 

O acordo também projecta um aumento na capacidade de armazenamento do porto brasileiro, dos atuais 1,5 milhões de contentores para os 2,4 milhões esperados até 2019.

 

A China Merchants Port intensificou a sua presença no exterior nos últimos anos, com investimentos directos em projectos portuários na Nigéria, Sri Lanka, Togo, Djibuti e Turquia.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub