Empresas Gigante têxtil e dona dos hotéis Moov abre District no Porto

Gigante têxtil e dona dos hotéis Moov abre District no Porto

O grupo Endutex, um dos maiores produtores mundiais de têxteis técnicos e dono da rede de hotéis Moov, inaugura esta quinta-feira o parque empresarial District Offices and Lifestyle, um espaço onde outrora funcionou o Governo Civil do Porto e o Comando Metropolitano da PSP.
Gigante têxtil e dona dos hotéis Moov abre District no Porto
O parque empresarial District Offices and Lifestyle, situado junto ao Teatro Nacional de São João, no Porto, é inaugurado esta quinta-feira, 9 de Fevereiro.
Rui Neves 09 de fevereiro de 2017 às 13:20

Fundada em 1970, em Caldas de Vizela, a Endutex, que também tem uma fábrica no Brasil, é uma das maiores produtoras mundiais de têxteis técnicos - toldos e encerados e vestuário de protecção, entre outros produtos.

É também das poucas empresas em todo o mundo que fornece impressões digitais em formato gigante. Exporta 80% da produção para mais de meia centena de países. Em 2015, a facturação rondou os 73 milhões de euros.

Nos últimos anos, o grupo Endutex, que emprega cerca de 600 pessoas, tem vindo a diversificar as suas áreas de negócio, através de fortes investimentos no imobiliário e na hotelaria.

Lançou a marca hoteleira "low-cost" Moov, tendo três hotéis (no Porto, em Matosinhos e em Évora) já em operação, num total de 334 quartos, e tem mais três aprovados – dois em Lisboa e um em Oeiras.

A construção do Moov Oeiras deverá começar no próximo mês e ficar concluído dentro de um ano, num investimento orçado em 6,3 milhões de euros.

Já na área imobiliária, o grupo minhoto comprou instalações de duas têxteis falidas – a vizinha Baiona e outra em Guimarães, onde criou parques empresariais, gerindo um total de 47 mil metros quadrados de área coberta.

E hoje, 9 de Fevereiro, ao final da tarde, com a presença do presidente da Câmara do Porto, vai inaugurar o District Offices and Lifestyle, o novo centro empresarial da cidade, que ocupa um edifício que já recebeu o Governo Civil do Porto e o Comando Metropolitano da PSP.

Situado próximo do Teatro Nacional de São João e da Praça da Batalha, o edifício que agora alberga o District foi construído no século XVIII, no local onde foi demolida a Muralha Fernandina.

Desocupado desde 2012, o edifício foi adquirido pelo grupo Endutex dois anos depois, quando arrematou o imóvel, num leilão da Estamo, empresa da estatal Parpública, por 1,6 milhões de euros.

Incluindo o valor da aquisição, o investimento na recuperação do edifício rondou os 3,6 milhões de euros.

Com um total de cerca de seis mil metros quadrados completamente renovados, os cinco pisos temáticos do District conta com 58 espaços para escritórios, nove para restauração e mais de 16 para comércio, entre outras valências.

Apresentando-se como uma alternativa aos escritórios tradicionais, os inquilinos do District beneficiam de um modelo de arrendamento "chave-na-mão", que inclui, no mesmo preço, todas as despesas extra e acesso a espaços comuns como salas de eventos, anfiteatro e espaços de reuniões.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
fonseca07 09.02.2017

Parabéns à empresa e à cidade do Porto.
Desejo prosperidade a ambas.

pub
pub
pub
pub