Energia Goldman Sachs e Citigroup deverão ter papel preponderante no IPO da Saudi Aramco

Goldman Sachs e Citigroup deverão ter papel preponderante no IPO da Saudi Aramco

A Saudi Aramco deverá escolher o Goldman Sachs e o Citigroup para ajudar a gerir a oferta pública inicial que pretende lançar. JPMorgan, HSBC e Morgan Stanley devem ser nomeados coordenadores da operação.
Goldman Sachs e Citigroup deverão ter papel preponderante no IPO da Saudi Aramco
Bloomberg
Negócios 09 de janeiro de 2018 às 11:06

As notícias que dão conta que a petrolífera estatal da Arábia Saudita, um dos maiores produtores mundiais de petróleo, pretende realizar uma oferta pública inicial (IPO) sobre uma parte da empresa não são novas. Mas a concretização do IPO da Saudi Aramco pode estar mais próxima.

O Goldman Sachs e o Citigroup deverão ajudar a gerir a operação, avançaram fontes à Bloomberg. O JPMorgan, o HSBC e o Morgan Stanley, que já tinham funcionado como conselheiros nesta operação, deverão ser nomeados coordenadores gerais, segundo fontes da agência que pediram para não serem identificadas.

Ainda assim, as fontes da Bloomberg admitem que a lista de bancos que vão auxiliar a operação não está concluída, podendo ainda surgir outros nomes. No final desta semana poderão ser conhecidos oficialmente os bancos que vão participar na preparação da operação e que papel vão desempenhar.

Já tinham surgido notícias que indicavam que a Saudi Aramco tinha convidado bancos internacionais para fazer uma proposta para, eventualmente, actuarem como coordenadores e "bookrunners" no IPO da empresa, que deverá acontecer ainda neste ano de 2018.

Em 2016, o reino saudita confirmou a intenção de vender menos de 5% da Saudi Aramco. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub