Tecnologias Google só vai usar energia renovável em 2017

Google só vai usar energia renovável em 2017

Passar de 44 para 100% é o objectivo da Google no que diz respeito às compras de energias renováveis. A medida posiciona-se como uma das maiores de sempre no combate às alterações climáticas por parte de uma empresa.
Google só vai usar energia renovável em 2017
Bloomberg / Reuters / Getty Images
Wilson Ledo 06 de dezembro de 2016 às 15:55

A Google planeia comprar energia renovável suficiente no próximo ano para cobrir todas as necessidades dos seus centros de dados e escritórios em todo o mundo. É uma das maiores medidas de uma empresa privada para combater as alterações climáticas.

A tecnológica confirmou que o seu compromisso a transformaria na "maior empresa compradora de energias renováveis no mundo", tornando mais comum a utilização de energia solar e eólica. Contudo, a Google, está ciente de que poderão existir limitações a esta vontade.


A energia renovável já pesa 44% das compras da Google, num processo que iniciou em 2010. Em 2015, escreve a imprensa internacional, a companhia utilizou 5,6 terawatt hora de energia verde – o suficiente para alimentar toda a cidade de San Francisco durante um ano e pouco menos que os 7,6 terawatt hora produzido por todos os painéis solares do Reino Unido.


Marc Oman, líder europeu para a energia na Google, destacou que, além de preços mais baratos no consumo desta energia, a vontade da tecnológica é realmente a de atenuar a pegada ecológica.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub