Banca & Finanças Governo apresenta relatório sobre supervisão financeira

Governo apresenta relatório sobre supervisão financeira

O relatório sobre supervisão bancária vai ser apresentado esta segunda-feira, numa sessão presidida por Mário Centeno.
A carregar o vídeo ...
Negócios 18 de setembro de 2017 às 10:03

O relatório do grupo de trabalho para a Reforma do Modelo de Supervisão Financeira será apresentado esta segunda-feira, 18 de Setembro, numa sessão presidida pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, de acordo com um comunicado enviado pelo Ministério das Finanças.

 

O grupo de trabalho, liderado por Carlos Tavares (ex-presidente da CMVM), vai apresentar o estudo a partir das 16:00. Este grupo de trabalho foi nomeado em Janeiro deste ano "com a missão de avaliar o actual modelo de supervisão financeira e propor a competente reforma."

 

No dia 8 de Setembro, Mário Centeno tinha prometido avançar com a reforma da supervisão "nas próximas semanas". Para Mário Centeno esta alteração exige uma "ponderação séria".

A reforma da supervisão bancária é prometida pelo Governo há já vários meses. Em Março, o ministro das Finanças foi ao Parlamento depois de receber o anteprojecto do documento de consulta pública para essa reforma, um projecto que tinha sido liderado pelo antigo presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, Carlos Tavares.

 

O Banco de Portugal, a CMVM e a ASF vão fazer parte da administração da nova entidade que o Governo pretende criar para supervisionar todo o sistema financeiro. Uma autoridade que terá atribuições próprias e não apenas um papel consultivo e cuja liderança caberá a personalidades de fora desses supervisores, como explicou o ministro das Finanças em Março.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Para que não volte a haver BPNs, BES, etc... 18.09.2017

Aguarda-se com expectativa e esperança.Até agora o grande papel das Supervisões e da maior parte das Compliances dos bancos tem sido evidenciarem que existem e legitimarem mais o que é feito (para Inglês ver ou agora, para a classe politica e Bruxelas verem) do que propriamente para atuarem com energia e proativamente em ordem a evitarem casos como os do BPN,BPP;BES e Banif e talvez outros que ainda não vieram a lume.Esperemos e desejemos que tal situação se altere decisivamente, talvez com muito mais trabalho e preocupações para os ditos supervisores e abandono de cómodas posições à Pôncio Pilatos, mas seguramente com maior benefício para quem mais interessa: o País e os seus Cidadãos.

comentários mais recentes
Para que não volte a haver BPNs, BES, etc... 18.09.2017

Aguarda-se com expectativa e esperança.Até agora o grande papel das Supervisões e da maior parte das Compliances dos bancos tem sido evidenciarem que existem e legitimarem mais o que é feito (para Inglês ver ou agora, para a classe politica e Bruxelas verem) do que propriamente para atuarem com energia e proativamente em ordem a evitarem casos como os do BPN,BPP;BES e Banif e talvez outros que ainda não vieram a lume.Esperemos e desejemos que tal situação se altere decisivamente, talvez com muito mais trabalho e preocupações para os ditos supervisores e abandono de cómodas posições à Pôncio Pilatos, mas seguramente com maior benefício para quem mais interessa: o País e os seus Cidadãos.

Anónimo 18.09.2017

Façam favor de pedir a opinião ao Professor Cavaco Silva que durante os anos do seu governo e durante os anos da sua presidência sempre tentou ao máximo limitar estas funções e estas competências... diziam no parlamento que a regulação dos mercados e da banca era uma loucura da esquerda...

pub