Agricultura e Pescas Governo aprova regime para que não se plantem eucaliptos em áreas ocupadas por outras espécies

Governo aprova regime para que não se plantem eucaliptos em áreas ocupadas por outras espécies

O Governo aprovou hoje um regime transitório que define que não sejam plantados eucaliptos em áreas ardidas anteriormente ocupadas por outras espécies.
Governo aprova regime para que não se plantem eucaliptos em áreas ocupadas por outras espécies
Lusa 16 de novembro de 2017 às 15:24

"Esta medida vem contribuir para um melhor equilíbrio entre as diferentes espécies florestais, procurando ao mesmo tempo garantir as actividades das várias fileiras florestais, bem como a biodiversidade", indica uma nota do Conselho de Ministros hoje.

 

Com este diploma pretende-se, continua o executivo, "promover a existência de uma adequada composição dos povoamentos florestais, evitando a rearborização" com eucaliptos em "áreas ocupadas anteriormente por outras espécies".


 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 3 semanas

Governo de merda* do qual não se vê medida que não seja cosmética e tapar buracos aqui para abrir ali.
Essa medida é absolutamente estúpida. Não é disso que o país precisa. Os eucaliptos e os pinheiros devem ser progressivamente reduzidos na floresta portuguesa, afastados de estradas e povoações e cultivados em pequenos lotes intercalados por árvores de outras espécies, especialmente autóctones e mais resistentes ao fogo (de combustão mais lenta). O interesse global deve sobrepor-se ao interesse individual e a construção de um mosaico florestal deve sobrepor-se à questão da propriedade dos terrenos. Vale mais ter pouco ou nenhum rendimento de um terreno que ver bens e vidas queimadas.

comentários mais recentes
Neves Há 3 semanas

Ou seja onde havia eucaliptos vai continuar a haver, reforma da floresta?

JCG Há 3 semanas

Governo de merda* do qual não se vê medida que não seja cosmética e tapar buracos aqui para abrir ali.
Essa medida é absolutamente estúpida. Não é disso que o país precisa. Os eucaliptos e os pinheiros devem ser progressivamente reduzidos na floresta portuguesa, afastados de estradas e povoações e cultivados em pequenos lotes intercalados por árvores de outras espécies, especialmente autóctones e mais resistentes ao fogo (de combustão mais lenta). O interesse global deve sobrepor-se ao interesse individual e a construção de um mosaico florestal deve sobrepor-se à questão da propriedade dos terrenos. Vale mais ter pouco ou nenhum rendimento de um terreno que ver bens e vidas queimadas.

Anónimo Há 3 semanas

O governo com os incêndios só tem atitudes reativas.Com a seca que continua , em vez de prolongar as queimadas, manda helicópteros vigiar.Quando os incêndios voltarem e com este tempo e queimadas, não vão demorar,toca a reagir. Burocratas incompetentes.As autarquias são as 1ªs a fazer queimadas

Anónimo Há 3 semanas

Mantenham o exército nas matas o calor não desapareceu e os incendiários estão a monte. A legislação contra o ouro verde cria enormes oposições... estes empresários têm mais peso do que se pensa... o governo subestima este negócio e corre riscos elevados de notoriedade. Prisão para os incendiários.