Aviação Governo britânico aprova nova pista no aeroporto de Heathrow

Governo britânico aprova nova pista no aeroporto de Heathrow

O gabinete de Theresa May deu o "ok" ao plano de expansão do aeroporto mais movimentado do Reino Unido, que passa pela construção de uma nova pista em Heathrow. A primeira-ministra diz que esta decisão pode "tornar o Brexit num sucesso."
Governo britânico aprova nova pista no aeroporto de Heathrow
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 25 de Outubro de 2016 às 11:39

O governo britânico, liderado por Theresa May, aprovou esta terça-feira, 25 de Outubro, em Londres, a construção de uma nova pista no aeroporto de Heathrow, o mais movimentado do Reino Unido.

A decisão de avançar com a infra-estrutura (uma obra avaliada em 20,2 mil milhões de euros) foi transmitida formalmente esta terça-feira, 26 de Outubro, pelo Ministério dos Transportes. Precisa agora de ser validada pelo Parlamento.

"Esta decisão mostra que enquanto deixamos a União Europeia podemos tornar o Brexit num sucesso e o Reino Unido pode ser o país aberto, global e de sucesso que todos queremos ser," afirmou a primeira-ministra citada pelo jornal Evening Standard.

"O passo que o governo está a dar hoje é verdadeiramente decisivo. Sinto-me orgulhoso que, após anos de discussão e adiamento, este governo tome a acção decisiva para assegurar o lugar do Reino Unido no mercado global de aviação," afirmou o ministro dos Transportes, Chris Grayling, citado pela BBC. 

O governo defende que a nova infra-estrutura - a primeira pista de grande extensão no sudeste do país construída desde a II Guerra Mundial - melhorará a ligação dentro do Reino Unido e com o resto do mundo, apoiando as exportações, o comércio e o emprego.

A construção tem vindo a ser contestada pelas associações ambientalistas, que agora acenam com acções em tribunal para travar a obra. Existia outra possibilidade em cima da mesa, que passava pela expansão das actuais duas pistas, uma opção que não vingou.

A preferência pela terceira pista não foi unânime dentro do gabinete May. Segundo afirma o Daily Telegraph, é esperada a declaração pública de oposição por parte do ministro dos Negócios Estrangeiros Boris Johnson, que sempre se manifestou contra esta possibilidade.

Um milhão de pessoas serão afectadas pela expansão, que o mais tardar estará concluída em 2030 – embora se aponte para 2025 -, dizem os opositores, como Daniel Moylan, antigo conselheiro de Boris Johnson para assuntos de transporte aéreo. A Greenpeace já anunciou que contestará em tribunal uma decisão de expansão.

De acordo com um estudo da Airports Commission, citado pela Reuters, uma nova pista criará 70 mil novos postos de trabalho até 2050 e contribuiria para aumentar o PIB britânico entre 0,65% e 0,75%, com um impacto de 147 mil milhões de libras (165,1 mil milhões de euros à cotação actual) durante 60 anos.

A expansão é vista, mais do que uma estratégia de desenvolvimento e de obras públicas, como uma resposta ao Brexit – a decisão do Reino Unido de saída da União Europeia -, funcionando como um sinal de confiança para o exterior, numa demonstração de abertura do país ao turismo e ao investimento.

No ano passado, Heathrow processou 75 milhões de passageiros, entre partidas e chegadas, e registou 472 mil movimentos aéreos, correspondendo a cerca de 1.300 movimentos por dia. As ligações de e para o aeroporto servem 185 localizações em 84 países.

(Notícia actualizada às 12:24 com mais informação)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub