Aviação Governo da Madeira considera haver "resposta eficaz" a condicionamentos do aeroporto

Governo da Madeira considera haver "resposta eficaz" a condicionamentos do aeroporto

O Governo madeirense atribuiu à ANA a responsabilidade para uma "solução estrutural" para os condicionamentos do aeroporto da ilha, mas considerou que nos últimos dias houve uma "resposta eficaz" das várias estruturas.
Governo da Madeira considera haver "resposta eficaz" a condicionamentos do aeroporto
Sofia A. Henriques/Negócios
Lusa 07 de agosto de 2017 às 01:01
O vento forte está, desde 5 de Agosto, a condicionar o movimento de aterragens e descolagens no Aeroporto da Madeira - Cristiano Ronaldo, o que afectou milhares de passageiros e provocaram cancelamento de dezenas de voos.

"Será importante lembrar que ao Governo Regional [da Madeira] cabe a gestão do destino, não a solução estrutural do problema. Essa responsabilidade é da ANA - Aeroportos de Portugal", disse fonte da secretaria da Economia, Turismo e Cultura à agência Lusa.

O executivo madeirense considerou que neste caso houve uma "resposta eficaz" das unidades hoteleiras, agências de viagens e Porto Santo Line (companhia que assegura as ligações marítimas entre as ilhas da Madeira e Porto Santo).

"O Governo Regional está atento e, aliás, acompanha esta situação desde a passada quarta-feira", disse a mesma fonte do gabinete do secretário da Economia, Turismo e Cultura madeirense.

Salientou que na passada quinta-feira, o executivo insular "alertou todo o sector para a necessidade de uma resposta conjunta e integrada que fosse para além do alojamento e que colmatasse todas as necessidades, a favor da imagem do destino [Madeira] e do apoio e bem-estar dos passageiros que estão ser afetados, o que tem surtido o efeito".

Também sublinhou que "embora caiba à ANA - Aeroportos de Portugal a competência de intervir nesta matéria", o governo desta região autónoma "tem vindo a sensibilizar e a alertar para a necessidade de haver aqui uma resposta das várias partes".

"Com base na antecipação [desta situação], felizmente conseguida desta vez, houve uma resposta eficaz por parte do sector da hotelaria, das agências de viagens que também ajudaram os passageiros, ao alterar as suas viagens", salientou.

Também realçou que "a Porto Santo Line [empresa que assegura as ligações regulares entre as ilhas da Madeira e Porto Santo] tem vindo a assegurar uma importante resposta de transporte, para a Madeira, dos passageiros que tiveram de ir para o Porto Santo" dos voos que divergiram para esta ilha.

O governo madeirense destacou que "as próprias companhias aéreas revelaram sensibilidade para o problema, tendo existido casos de interligação e colaboração com o transporte marítimo, concretamente no caso da Transavia".

O Governo da Madeira salienta que "também a ANA tem feito os possíveis para minorar os impactos, num trabalho em articulação" que os responsáveis insulares esperam seja "continuamente reforçado".

"É evidente que este tipo de situação em nada abona a favor do destino e é também por isso que a responsabilidade é enorme, neste caso para todos e para quem gere o destino"m vincou.

A secretaria regional sustenta estar "totalmente disponível para apoiar e ajudar, quer através da sua estrutura quer através da associação de promoção da Madeira, uma resposta integrada e articulada entre todos, a favor dos passageiros".

Domingo, devido ao vento forte que se fez sentir no extremo leste da ilha da Madeira apenas aterraram dois voos da Aerovip provenientes da ilha do Porto Santo (17:19 e 20:31), tendo sido canceladas mais de 30 chegadas e correspondentes partidas.

O cancelamento de voos afectou milhares de pessoas, tendo algumas centenas sido transportadas do Porto Santo para o Funchal por mar, depois dos seus voos terem sido desviados para aquela ilha. No final do dia de domingo no aeroporto do Funchal permaneciam milhares de passageiros afetados por esta situação.

A ANA- Aeroportos da Madeira alertou para os constrangimentos na estrutura aeroportuária da ilha devido às previsões de ventos fortes entre os dias 5 e 8 de Agosto.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub