Banca & Finanças Governo estuda solução para o Montepio que também envolve Santa Casa do Porto

Governo estuda solução para o Montepio que também envolve Santa Casa do Porto

Uma das várias soluções que estão a ser estudadas entre o Governo e o supervisor para o Montepio passa por uma ajuda indirecta da Santa Casa de Lisboa e do Porto que permita fornecer liquidez e capital ao banco, segundo o Público.
Governo estuda solução para o Montepio que também envolve Santa Casa do Porto
Negócios 10 de maio de 2017 às 09:26

A solução para a Caixa Económica Montepio Geral pode passar por uma ajuda indirecta das Santas Casas da Misericórdia de Lisboa e do Porto, em parceria com uma sociedade financeira, de acordo com o jornal Público.

Esta é uma das hipóteses que estará a ser estudada pelo Ministério do Trabalho e da Segurança Social e pelo Banco de Portugal. A solução que está a ser analisada passa pela constituição de uma entidade veículo participada pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, pela Santa Casa da Misericórdia do Porto e por uma sociedade não bancária.

Neste cenário seriam criados instrumentos financeiros que não implicam a entrada imediata da Santa Casa no capital da Caixa Económica, mas a solução acomodaria a possibilidade de conversão dos títulos em acções, caso houvesse quebra de reembolso no prazo de vencimento.

O Montepio perdeu 876 milhões de euros em depósitos nos primeiros três meses deste ano, numa quebra de 4%. No mesmo período voltou aos lucros, de 11,1 milhões.

Esta terça-feira, a assembleia-geral da Associação Mutualista Montepio geral, dona da Caixa Económica Montepio Geral (CEMG), aprovou a passagem do banco a sociedade anónima, o que permitirá abrir o capital a novos investidores.

Embora o provedor da Santa Casa da Misericórdia tenha sublinhado no início de Abril que a instituição não tinha "intenção rigorosamente nenhuma em relação ao Montepio" – depois de o ministro do Trabalho ter apadrinhado a entrada da Santa Casa na instituição – Pedro Santana Lopes suavizou mais tarde a sua posição, quando admitiu que pediu estudos sobre esse assunto e quando acrescentou a decisão será tomada até ao final de Junho.


A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
AAAA Há 2 semanas

O GOVERNO NÃO TEM QUE ENCONTRAR SOLUÇÃO NENHUMA PARA O MONTEPIO. É UM BANCO PRIVADO. .JÁ BASTOU OS PORTUGUESES PAGAREM MAIS DE 20 MIL MILHÕES PARA RESGATAR BANCOS GERIDOS POR CRIMINOSOS COM O BENEPLÁCITO DO BANCO DE PORTUGAL. SE FOR A MINHA PME O GOVERNO NÃO FAZ NADA.

JCG Há 2 semanas

Não cabe ao Governo encontrar soluções para o Montepio. O Montepio é uma instituição privada, não é um departamento do Estado.
O que o Governo tem de fazer é uma lei para as associações que bloqueie as anomalias já detectadas que conduziram à ocupação das associações por gangues de oportunistas e predadores. E nas associações incluo os sindicatos.
Medidas básicas a incluir na lei:
1ª limitação de mandatos (não mais que meia dúzia de anos seguidos) para todos os eleitos;
2ª Dar força e condições ao conselho fiscal desanexado-o do executivo (eleição em lista autónoma e independente) e responsabilizando-o
3º Assegurar que a assembleia geral (AG) representa o interesse legítimo dos associados, criando uma assembleia de representantes (AR) com membros designados através de processo aleatório;
4º Em associações como o Montepio suspender direitos de voto a associados-trabalhadores do Grupo enquanto estiverem no activo (principal suporte da gestão que levou o Montepio à crise);

suiriri Há 2 semanas

Uma boa solução para o Montepio seria baixar as reformas aos reformados e aumentarem a de Jardim Gonçalves.. Seria uma optima sustentabilidade das contas do Montepio...

JCG Há 2 semanas

Não me espantará nada que lá mais para diante o Ministro Vieira da Silva acabe como administrador do Montepio, multiplicando os seu salário de professor ou ministro por 10, mais ou menos a exemplo do que já aconteceu com outros da sua "tribo". Vejam-se, por exemplo, os casos de um ex-secretário da SS e depois presidente do Inatel ou o ex-presidente da Câmara de Grândola, município onde, segundo veio a público (creio que no Correio da manhã), o presidente do Montepio todo nos últimos anos usufruiu de benefícios de tratamento de amigo.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub