Empresas Governo: preço da água tem que aumentar para cobrir custos

Governo: preço da água tem que aumentar para cobrir custos

O Ministério do Ambiente acredita que é prioritário aplicar taxas mais elevadas para financiar os custos, nomeadamente com a reabilitação das redes, adianta o Diário de Notícias desta quinta-feira, dia 15 de Dezembro.
Governo: preço da água tem que aumentar para cobrir custos
Reuters
Negócios 15 de dezembro de 2016 às 09:38

O Governo acredita que as tarifas da água devem ser suficientes para cobrir os custos, nomeadamente com a reabilitação das redes. Em declarações ao DN, o secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, salientou que "em Portugal, a maioria das tarifas praticadas não cobre os verdadeiros custos dos serviços de águas e águas residuais".


O governante referiu que "estamos a pugnar para que as tarifas se aproximem daquilo que são tarifas que permitam cobrir custos, nomeadamente de reabilitação". Segundo Carlos Martins, as entidades gestoras estão a cobrar preços abaixo do necessário, o que significa que estão "implicitamente" a subsidiar os serviços.


É este o caminho traçado pelo Governo, a propósito do relatório intercalar do Grupo de Apoio à Gestão do Plano Estratégico de Água e Saneamento de Águas Residuais – Pensaar 2020. Carlos Martins, citando o documento, referiu que "o ritmo a que as entidades gestoras reabilitam as suas redes é ainda baixo".


No entanto, este objectivo pode ser difícil de alcançar, em ano de autárquicas. No Porto, por exemplo, a Câmara já anunciou que irá descer o preço da água em 2% no próximo ano. 


A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 15.12.2016


O BURACO ANUAL DA CGA CUSTA MAIS DO QUE O RESGATE DE UM BANCO


PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

400 milhões de Euros para aumentar as pensões baixas, são migalhas em comparação com...

os mais de 4600 milhões de euros que o Estado vai injetar, em 2017 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o financiamento do buraco anual das pensões dos FP-CGA.

comentários mais recentes
Anónimo 15.12.2016

O sr: Ministro pense bem no que vai fazer , o caso da água é um caso muito complicado , 1º a água não se pode negar a ninguém , 2º a água é necessária para tudo na casa das pessoas , 3º à muita gente de baixos recursos e os sr: sabem bem , 4º o sr: Ministro não sei se sabe que em

Parece-me bem 15.12.2016

Uma medida necessária, concordo.

Anónimo 15.12.2016

Custos? O estado?
mas se entregaram as redes de água a privados, deixando o mercado ser monopolizado pela EPUL e as suas pseudo-empresas subsidiárias para disfarçar a coisa como é que tem o Estado custos? Conheço casos em que os moradores tiveram que pagar a instalação da rede nas ruas!

e os imcobrados ? 15.12.2016

Porque não começam antes por cobrar as faturas dos que não pagam ? (camaras, instituções publicas, etc etc) qual o montante do facturado que está em divida ? quanto foi a divida prescrita anual ? mas porque é que não há um jornalismo isento e limitam-se a fazer fretes a governantes ?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub