Indústria Governo publica mais dois contratos fiscais de investimento que podem criar 282 empregos

Governo publica mais dois contratos fiscais de investimento que podem criar 282 empregos

Projectos da Royal Óbidos e da Mecachrome também já são oficiais, depois da publicação em Diário da República. A Toyota Caetano viu oficializada a sua intenção de investimento esta quinta-feira.
Governo publica mais dois contratos fiscais de investimento que podem criar 282 empregos
Miguel Baltazar
Alexandra Noronha 20 de janeiro de 2017 às 09:44

Depois da publicação do diploma que veio oficializar um projecto da Toyota Caetano para reduzir emissões de gases de efeito de estufa, foi a vez dos projectos da Royal Óbidos e da Mecachrome serem publicados em Diário da República (DR).


No primeiro caso, em cima da mesa está um adiantamento a um contrato. " Impõe-se a necessidade de proceder a ajustamentos no contrato fiscal de investimento celebrado, em 16 de Março de 2012, entre o Estado Português e a Royal Óbidos, Promoção e Gestão Imobiliária e Turística", segundo o DR.


No segundo caso, a empresa irá  dedicar-se à "construção e equipamento de uma nova unidade industrial em Évora, no sector da aeronáutica, que irá permitir criar uma nova linha de produção e possibilitar o desenvolvimento de uma série de produtos fabricados com um novo processo produtivo criogénico", diz o diploma. Este projecto, aprovado em Conselho de Ministros, no dia 5 de Janeiro, abrange um investimento de 29,8 milhões e 282 postos de trabalho.


Já o projecto da Toyota Caetano Portugal, contempla "a realização de investimentos que se irão traduzir na introdução de tecnologias inovadoras e no desenvolvimento de novos processos mais eficientes e permitir uma redução do impacto da actividade da empresa nas emissões de gases com efeitos de estufa" e estava avaliado em 5,9 milhões de euros. Deverão que ser "criados 20 postos de trabalho".

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub