Agricultura e Pescas Governo quer construir "pequenos Alquevas" por todo o país

Governo quer construir "pequenos Alquevas" por todo o país

O primeiro-ministro anunciou que o Governo aguarda um financiamento do Banco Europeu de Investimento para aumentar em "90 mil hectares" a área de regadio em Portugal.
Governo quer construir "pequenos Alquevas" por todo o país
Lusa 16 de setembro de 2017 às 17:06
O Governo tem em preparação um Programa Nacional para alargar a área de regadio construindo "pequenos Alquevas" por todo o país, anunciou hoje o secretário-geral do PS, António Costa.

O líder socialista anunciou que o Governo tem em fase de conclusão de financiamento junto do Banco Europeu de Investimento (BEI) um programa para aumentar em "90 mil hectares" a área de regadio em Portugal.


O propósito, segundo disse, "é fazer pelo país "pequenos Alquevas" e ajudar a agricultura a criar mais riqueza e que ajude ao desenvolvimento do mundo rural".


António Costa falava num comício, em Macedo de Cavaleiros, no distrito de Bragança, para as autárquicas num concelho liderado pelo PSD e onde o PS aposta no médico Benjamim Rodrigues na corrida autárquica.


Costa apontou a sua experiência autárquicas para afirmar que acredita que "as freguesias e os municípios podem fazer a diferença " e afirmou que uma das reformas que o Governo socialista que lidera quer fazer é a descentralização, " dar mais competências e mais meios" ao poder local.


Para o líder socialista, "a função dos autarcas já não é só assegurar as infraestruturas básicas". "É , sobretudo, poderem ser os motores do desenvolvimento económico e de criação de emprego nos seus concelhos".


O secretário-geral do PS está hoje em acções de pré-campanha para as autárquicas no distrito de Bragança, com passagem pelos concelhos de Bragança, Macedo de Cavaleiros e Mirandela.




A sua opinião22
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG Há 5 dias

Sim, fazer barragens, pequenas ou grandes, onde for possível, acho que é acertado. Como reservas estratégias de água - face à subida das temperaturas e ao avanço da desertificação pelo sul - e como elemento essencial para desenvolver uma agricultura baseada em hortícolas e frutas que possa ser a base do desenvolvimento de uma forte agro-indústria que valorize recursos nacionais. É por aí que, creio, o futuro vai avançar. Também me parece que se devia valorizar mais a produção de peixe de água doce em barragens. É preciso alterar o padrão de alimentação dos portugueses no sentido da alimentação , mais saudável e na sua compatibilização com os recursos que temos no país. Por exemplo, deve-se consumir cada vez menos carne da vaca, dado, também, o forte impacto negativo que tal produção tem no planeta.

comentários mais recentes
Francisco António Há 5 dias

A seca é um dos problemas mais graves do País ! Apesar de ser tempo de campanha eleitoral...acredito na vontade de António Costa, PM, vir mesmo a concretizar a promessa ! Se o fizer...merece a nossa confiança e...voto, porque não ?

pertinaz Há 5 dias

MAIS UM SÓCRATES...!!!

Anónimo Há 5 dias

Prioridade Alentejo e Algarve. Acautelar futuro prepararando para os efeitos do aquecimto global e desertificação do Sul, um projecto nacional, importante, premente, compromisso de todas as forças políticas, autárquicas, entidades e sociedade. Não seja jogo político mas trabalho vencedor, nossa Bem!

Caça ao voto Há 5 dias

Se acontecer o mesmo que aconteceu com este, dá para pensar se será boa ideia. É que todos exigiam um Alqueva que irrigasse os campos, mas durante a sua construção foram vendendo as terras aos espanhóis, reduzindo assim parte dos benefícios a favor do país.

ver mais comentários
pub