Energia Governo quer poupar 4,2 milhões com centralização de compras de energia

Governo quer poupar 4,2 milhões com centralização de compras de energia

O Governo vai avançar com a compra centralizada de electricidade, combustíveis e gás a partir de 2018.
Governo quer poupar 4,2 milhões com centralização de compras de energia
Bloomberg
André Cabrita-Mendes 14 de outubro de 2017 às 00:39
O Governo quer começar a centralizar as compras de energia. E espera obter poupanças de 4,2 milhões de euros com esta medida em 2018.

"Em matéria de compras de bens e serviços transversais à Administração Pública foi aprovada a centralização da compra de energia (electricidade, combustível rodoviário e gás natural)", pode-se ler na proposta do Orçamento do Estado para 2018 divulgada na sexta-feira, 13 de Outubro.

As compras passam a ser centralizadas através da Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública (ESPAP). O Governo sublinha que o processo vai ocorrer de "forma faseada até 2019, permitindo que todas as entidades compradoras vinculadas ao Sistema Nacional de Compras Públicas (SNCP), independentemente da sua dimensão, possam beneficiar de forma transversal das mesmas condições de mercado, com um impacto favorável nos custos associados à aquisição destes bens".

Para 2018, "encontra-se em planeamento e autorização o primeiro procedimento centralizado que se prevê envolva as necessidades aquisitivas de mais de 50 entidades públicas, num montante de cerca de 23 milhões de euros".



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

Vê-se bem que esta gajada não faz a mínima ideia do que é uma "Central de Compras". 23 milhões de €? Isso é coisa para ser bem gerida por 6 compradores. "Central de Compras" não serve para comprar mas sim para supervisionar e controlar o processo de compra tendo em primeira consideração a competitividade global. Mas, para isso, teriam que contratar conceituados especialistas de multinacionais, coisa que nunca irão fazer. Eu, por ex. , só aceitaria e sob condições a partir dum budget de 500 milhões e com o exclusivo de qualquer compra para o "Estado".

pub