Transportes Governo sem verbas para repor descontos nos passes para jovens

Governo sem verbas para repor descontos nos passes para jovens

A reintrodução dos descontos nos passes "4_18" e "sub23" teria um impacto orçamental de 20 milhões de euros, afirmou o ministro do Ambiente, admitindo que o Governo só tem condições este ano para alargar o "passe social +" a todo o território.
Governo sem verbas para repor descontos nos passes para jovens
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 01 de março de 2016 às 12:57

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, contabilizou esta terça-feira no Parlamento em 20 milhões de euros a reintrodução de descontos nos passes "4_18" e "sub23" a todos os jovens em Portugal, independentemente dos recursos. Algo que, frisou, "não temos capacidade orçamental para o fazer".

Relativamente aos passes sociais, o ministro sublinhou a necessidade de "deixar de haver uma triste perspectiva de classe económica entre quem usa e quem não usa o transporte público" e comprometeu-se "a tudo fazer para esbater esta ideia errada de que quem anda de transporte colectivo é quem não pode andar de outra forma".

No entanto, tendo em conta as restrições orçamentais, o Ministério pode agora garantir apenas, em sede de apoio social aos transportes colectivos, o alargamento do "passe social +" a todo o território.

A reposição dos descontos nos passes para passageiros mais jovens foi uma das propostas apresentadas pela Associação Nacional de Transportes Rodoviários de Passageiros (Antrop) ao Governo e aos grupos parlamentares, entre as medidas de discriminação positiva que reclamou para o transporte público no âmbito do agravamento do ISP.

Como noticiou segunda-feira o Negócios, a associação quer que o transporte público de passageiros seja excepcionado do agravamento fiscal do ISP e reclama a majoração das despesas com combustível, assim como a isenção de imposto da diferença entre mais-valias e menos-valias na transmissão onerosa de veículos afectos ao transporte público de passageiros. Defende a reintrodução dos descontos nos passes "4_18" e "sub23" e o alargamento do "passe social +" a todos os títulos de transporte e a todo o país. E realça a importância de introduzir a dedução no IRS das despesas das famílias com o transporte público e atribuir benefícios às empresas que comprem títulos de transporte para os seus trabalhadores.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 02.03.2016

A coisa é simples de explicar: repor regalias aos trabalhadores das empresas publicas rende muitos votos e agrada ao PCP e CGTP. Os jovens coitados, ainda nao tem idade para votar e os que tem estao-se a marimbar para a politica. Digamos que estamos a caminhar para a vitória do proletariado e a caminho...da Venezuela!!!

comentários mais recentes
Jorge Silva 03.03.2016

Aqueles que ainda têm "MEMÓRIA", relembrem e contem aos FILHOS :

O MAIO de 68 !!! . Talvez eles ACORDEM !!!

Anónimo 02.03.2016

A coisa é simples de explicar: repor regalias aos trabalhadores das empresas publicas rende muitos votos e agrada ao PCP e CGTP. Os jovens coitados, ainda nao tem idade para votar e os que tem estao-se a marimbar para a politica. Digamos que estamos a caminhar para a vitória do proletariado e a caminho...da Venezuela!!!

pub