Automóvel Governo mantém adicional ao imposto sobre combustíveis

Governo mantém adicional ao imposto sobre combustíveis

Por cada dez litros de gasolina que abastecerem, os portugueses continuarão a ter de pagar mais sete cêntimos. O dinheiro será destinado ao fundo florestal.
Governo mantém adicional ao imposto sobre combustíveis
Cátia Barbosa/Negócios
Negócios 14 de Outubro de 2016 às 14:15

O Governo vai manter o valor do adicional do imposto sobre os produtos petrolíferos e energéticos (ISP), continuando a ser a gasolina a mais afectada. A medida faz parte da proposta de Orçamento do Estado para 2017, a que o Negócios teve acesso.

"Mantém-se em vigor em 2017 o adicional às taxas do imposto sobre os produtos Petrolíferos e energéticos, no montante de € 0,007/l para a gasolina e no montante de €0,0035/l para o gasóleo rodoviário e o gasóleo colorido e marcado", pode ler-se no documento. Na prática, o consumidor continuará a pagar mais sete cêntimos por cada 10 litros de gasolina que abastecer.


A verba obtida com esta actualização, até um limite de 30 milhões de euros por ano, será agora transferida para o Fundo Florestal Permanente, dedicado à gestão das florestas nacionais.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


SÓ METADE

Os descontos efetuados pelos FP só permitem pagar metade do valor das pensões.

O resto vem dos impostos pagos por todos os portugueses (ou seja, NÃO é propriedade do pensionista)!

É ROUBADO pelo pensionista.

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas



FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

UM EXEMPLO DE INJUSTIÇA QUE É URGENTE CORRIGIR

Um técnico superior reformado em 2005 pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) levou uma pensão de 2.026 euros consigo. Se se tivesse aposentado na mesma altura, com o mesmo salário, pelas regras da Segurança Social, teria levado para casa 1.512 euros.

Ora bem 500€ x 10 anos x 12 meses = 60.000€ a mais, que esse gajo já embolsou desde 2005, à custa de quem trabalha.
Rica mama.
Deve ser obrigado a devolver tudo.

Enganei-me nas contas, são 14 meses por ano, ainda lhe estava a perdoar 10.000€ (sortudo).
Afinal tem que devolver 70.000€.

Receber 70.000€ a mais, em 10 anos?
Isso dá para comprar um carro de 30.000€, de 4 em 4 anos.
Este é mesmo o país das maravilhas... para alguns.


Anónimo Há 3 semanas


FP e CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Deverá ser aplicada a todos (atuais e futuros pensionistas da CGA) a mesma fórmula de cálculo das pensões. Esta fórmula terá em conta toda a carreira contributiva (com descontos realmente efetuados).

O valor das pensões deverá ser recalculado todos os anos de acordo com critérios atuariais, procedendo-se anualmente ao aumento ou diminuição do valor das pensões, assegurando desta forma, quer a sustentabilidade do sistema de pensões, quer a IGUALDADE entre atuais e futuros pensionistas.

Anónimo Há 3 semanas


SÓ METADE

Os descontos efetuados pelos FP só permitem pagar metade do valor das pensões.

O resto vem dos impostos pagos por todos os portugueses (ou seja, NÃO é propriedade do pensionista)!

É ROUBADO pelo pensionista.

pub
pub
pub
pub