Mercados Governo prepara certificados de curto prazo para PME

Governo prepara certificados de curto prazo para PME

O objectivo da medida avançada esta terça-feira pelo primeiro-ministro António Costa na conferência Via Bolsa é fornecer alternativas de financiamento às companhias portuguesas.
Governo prepara certificados de curto prazo para PME
bloomberg
Patrícia Abreu 18 de Outubro de 2016 às 11:01

O primeiro-ministro António Costa garantiu esta terça-feira, 18 de Outubro, que pretende continuar a desenvolver iniciativas para dinamizar o mercado de capitais, adiantando, neste sentido, que o Governo vai avançar com duas novas medidas: a criação de certificados de curto prazo para pequenas e médias empresas e empresas de fomento da economia. O objectivo é fornecer alternativas de financiamento às companhias portuguesas.

 

"Vamos avançar com a criação dos certificados de curto prazo para PME, que são instrumentos de dívida de curto prazo elegíveis para fundos harmonizados e fundos de pensões", adiantou António Costa, num discurso realizado no Via Bolsa. Além desta nova medida, o líder do Executivo informou que vai avançar ainda com a criação da " figura de empresas de fomento da economia", sociedades que possam investir no capital de empresas de dimensão reduzida, o que de outra forma não seria possível.

 

A falar na conferência organizada pela Euronext Lisbon, que visa promover a dinamização do mercado de capitais, António Costa referiu ainda outras iniciativas lançadas pelo Governo, nomeadamente no âmbito do Programa Dinamizar. Este programa prevê, entre outras coisas uma maior neutralidade no tratamento fiscal entre capital próprio e alheio.

 

"Temos a ambição de assegurar o desenvolvimento do mercado de capitais", assegurou o primeiro-ministro, realçando ainda que o Governo está ainda empenhado em melhorar a imagem do país, de modo a abrir o mercado, e garantir uma banca forte para também financiar as empresas e a economia.

 

Num momento em que os juros da República estão acima de 3%, Costa referiu que é preciso "eliminar as dúvidas quanto as nossas finanças públicas para contrariar uma percepção negativa quanto à nossa dívida". Lutar contra a incerteza quanto à economia portuguesa e avançar com as reformas estruturais são outras prioridades assumidas pelo governante.

 

"É preciso criar soluções para o sobreendividamento das empresas, o que passa por um quadro de alternativas de financiamento, o que passa pelo mercado de capitais", remata.

 

Já a presidente da bolsa, Maria João Carioca, aplaudiu as medidas avançadas pelo governo no Orçamento do Estado para 2017, mas diz que é preciso "continuar a fazer esse caminho", apostando na dinamização do mercado de capitais.




A sua opinião22
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

OH DIABO:quando o lobo desce aldeia a fome e danada.Depois de uma mulher perder a virgindade nao ha santo nem santa que a componha.Assim esta a gerigoucado com a imagem(credito).

Anónimo Há 3 semanas


Os ladrões de esquerda

PS ROUBA A VIDA A 500.000 TRABALHADORES


EMIGRAÇÃO FORÇADA

Os Portugueses foram obrigados a emigrar devido à bancarrota do Socrates! …

e ao brutal aumento de impostos, ordenado pelo TC, para sustentar os privilégios da FP e seus pensionistas.

(claro que os xux.as e FP tentam esconder esta realidade)

A GAJA DA PAFAS Há 3 semanas

DIZ QUE ESTE ORÇAMENTO CONTÉM MEDIDAS DEFINITIVAS, MAS AO MESMO TEMPO DIZ QUE VAI VER SE O GOVERNO AS MUDA.

A GAJA TAMBÉM DIZ QUE AS DA PAFAS ERAM PROVISÓRIAS- AQUI PARA NÓS, JÁ TINHAM MAIS DE 4 ANOS MAS ERAM SEMPRE PROVISÓRIAS- É FARTAR DE TRAPAÇA !

A GAJA DA PAFAS Há 3 semanas

DIZ QUE ESTE ORÇAMENTO CONTÉM MEDIDAS DEFINITIVAS, MAS AO MESMO TEMPO DIZ QUE VAI VER SE O GOVERNO AS MUDA.

A GAJA TAMBÉM DIZ QUE AS DA PAFAS ERAM PROVISÓRIAS- AQUI PARA NÓS, JÁ TINHAM MAIS DE 4 ANOS MAS ERAM SEMPRE PROVISÓRIAS- É FARTAR DE TRAPAÇA !

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub