Automóvel Governos alemão e britânico preocupados com compras da PSA

Governos alemão e britânico preocupados com compras da PSA

O Executivo alemão considera “inaceitável” que a GM discuta a venda da Opel sem falar com a comissão de trabalhadores, sindicados e governo local. O Reino Unido também já manifestou preocupações com a venda da Vauxhall.
Governos alemão e britânico preocupados com compras da PSA
Negócios 15 de fevereiro de 2017 às 10:33

O anúncio da eventual compra pelo Grupo PSA da Opel, detida pela General Motors, gerou algumas preocupações por parte dos líderes políticos da Alemanha. E o mesmo oconteceu no Reino Unido com as notícias da GM estar a estudar vender ao mesmo grupo a Vauxhall.

Na base das preocupações está a manutenção dos postos de trabalho das fábricas que estas operações da GM têm na Europa.

Num email enviado à Bloomberg, a ministra da Economia alemã, Brigitte Zypries, alertou que "a empresa [GM] tem responsabilidade pelos centros de desenvolvimento e pela garantia de emprego". "Esta é a minha expectativa em relação à General Motors", acrescentou.

A governante considera ainda como "inaceitável" que a GM tenha discutido a possível venda da Opel sem falar primeiro com a comissão de trabalhadores, sindicatos e com o governo local. A Opel na Europa é representada pela GM tem sede na região alemã Hesse.

No Reino Unido, o Governo já avançou mesmo com contactos com o presidente da GM, segundo a Reuters, depois de ter sido noticiado que a empresa estava a estudar vender algumas operações na Europa incluindo a Vauxhall.

Segundo a agência de notícias, os sindicatos britânicos também já manifestaram receio que estas operações levem a corte de postos de trabalho.

O Financial Times  avançou na terça-feira que o PSA Group está a estudar avançar com a compra da divisão europeia da General Motors, o que prática representa uma fusão entre as empresas que fabricam as marcas Peugeot, Citroen e Opel.

O jornal britânico diz que a fusão destas unidades pode avançar nos próximos dias. A PSA, que é a segunda maior fabricante de automóveis da Europa, é liderada pelo português Carlos Tavares.

 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
50_paus 15.02.2017

Hehe. É só rir com as contradições destes países. Se for em Portugal e Grécia acham muito bem. Toca a despedir tudo e todos. Já se for nos países deles não pode ser...

Anónimo 15.02.2017

É isto a tal "união europeia " ! Os ingleses é que sabem ! Puseram-se a andar e fizeram very well, of course !

XISUM 15.02.2017

Fusões e aquisições nos periféricos é para fazer a eito e ponto final.
Quando "a coisa" se passa no nosso quintal é diferente!...

pub