Banca & Finanças Grandes accionistas ponderam trocar acções por dívida do Monte dei Paschi

Grandes accionistas ponderam trocar acções por dívida do Monte dei Paschi

Alguns fundos de investimento detentores de acções do Monte dei Paschi pretendem formar grupos para negociar os termos relativos a uma eventual troca de acções por títulos de dívida do banco italiano.
Grandes accionistas ponderam trocar acções por dívida do Monte dei Paschi
Bloomberg
Negócios com Bloomberg 11 de Outubro de 2016 às 14:02

Segundo fontes relacionadas com o processo citadas pela agência Bloomberg, alguns fundos de investimento estão a criar grupos com vista à negociação de eventuais processos de troca de acções por dívida do Banca Monte dei Paschi di Siena, o banco mais antigo do mundo ainda em actividade.

 

A Bloomberg refere que entre os fundos de investimento que pretendem assim tentar acautelar eventuais perdas decorrentes da desvalorização bolsista do banco transalpino estão o Attestor Capital, Bybrook Capital, Centerbridge Partners, Eton Park Fund ou ainda o Eyck Capital Management.

 

Nesta altura, aquele que é o terceiro maior banco italiano está a trabalhar em conjunto com o JPMorgan Chase e com o Mediobanca com o objectivo de chegar a um acordo que permita à instituição converter obrigações subordinadas em acções até ao início de próximo mês de Dezembro, garantindo assim um aumento de capital.

 

O pretendido plano de recapitalização no valor de 5 mil milhões de euros do Monte dei Paschi passa, no essencial, pela conversação voluntária de obrigações juniores. Sendo que este plano contempla a venda de 28 mil milhões de crédito malparado, para o que o banco transalpino conta com o apoio do Atlante, o fundo de resgate criado por iniciativa governamental.

 

O volume do crédito malparado continua a ser um dos factores que mais contribui para a fragilidade do sistema financeiro italiano. Segundo dados revelados esta terça-feira, 11 de Outubro, pelo banco central transalpino, em Agosto o crédito malparado atingia os 200,1 mil milhões de euros, tendo aumentado 0,1% face ao período homólogo.

Esta terça-feira os títulos accionistas do banco italiano seguem a somar 1,41% para 0,1728 euros, um valor bastante inferior aos 1,719 euros por acção registados há um ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub