Desporto Grécia admite retirar clubes da Europa se violência no futebol não parar

Grécia admite retirar clubes da Europa se violência no futebol não parar

O governo grego admitiu esta quinta-feira que os clubes do país poderão ser afastados das competições europeias, caso não se coloque fim à onda de violência ligada ao mundo do futebol e seus intervenientes.
Grécia admite retirar clubes da Europa se violência no futebol não parar
Reuters
Lusa 10 de Novembro de 2016 às 20:45

"Os gangues criminosos organizados não podem ser tolerados nem pela sociedade nem pelo Governo grego", disse Giorgos Vasiliadis, o novo ministro dos Desportos, após se encontrar com o Primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

 

O mais recente caso aconteceu com o incêndio do caso do árbitro Giorgos Bikas, que levou ao adiamento sem data de todos os jogos da Liga.

 

Vasiliadis disse que os Serviços Antiterrorismo estão a investigar "estes ataques de estilo mafioso" e que será a federação a decidir quando regressa o campeonato, após completa inspeção às regras de segurança.

 

Por outro lado, pretende encontrar-se com as organizações de jornalistas, para procurar forma de parar com as provocações na imprensa, passíveis de estimular a violência entre adeptos.

 

Caso as medidas falhem, "que fique claro que o Governo tem o poder para retirar os clubes das ligas europeias [Liga dos Campeões e Europa), até que se regresse à normalidade. O Desporto não é uma guerra e não se pode aceitar gangues mafiosos a operar. Chega", disse Vasiliadis.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub