Greve dos controladores aéreos cancela pelo menos 10 voos
20 Abril 2012, 08:07 por Lusa
7
Enviar por email
Reportar erro
0
Nas partidas, a TAP cancelou os voos da manhã, que deveriam partir de Lisboa para Bruxelas, Zurique, Genebra, Barcelona e Funchal e ainda o que deveria voar do Porto para o Funchal.
Pelo menos 10 voos foram cancelados na sequência da greve dos controladores aéreos, que cumprem hoje o terceiro dia de paralisação neste mês, de acordo com o site da ANA - Aeroportos de Portugal.Entre estes cancelados apresentados na página da Internet da ANA, nove são da TAP e um da Easyjet, sendo que a maior parte se refere a partidas ou chegadas ao aeroporto da Portela, em Lisboa.

Nas partidas, a TAP cancelou os voos da manhã, que deveriam partir de Lisboa para Bruxelas, Zurique, Genebra, Barcelona e Funchal e ainda o que deveria voar do Porto para o Funchal.

A companhia aérea portuguesa também cancelou os voos com chegada à Portela vindos de Madrid, Frankfurt e Funchal e o que tinha origem no Funchal e chegada ao Porto.

Além destes, também foi cancelado o voo da easyJet Madrid-Lisboa.

A TAP já tinha anunciado na quinta-feira que iria cancelar cinco voos, no período entre as 07:00 e as 09:00, devido à greve dos controladores aéreos, mas garantiu que as viagens se realizariam ainda hoje.

Os controladores aéreos estão hoje em greve parcial, com a comissão de trabalhadores (CT) da NAV Portugal, empresa responsável pela prestação de serviços de tráfego aéreo, a protestar contra a ausência de decisões por parte do conselho de administração e do Governo em relação às suas preocupações.

Os trabalhadores da NAV afirmam que "está em causa o interesse nacional em duas vertentes concretas", nomeadamente "salvaguardar o potencial económico do espaço aéreo nacional, enquadrado numa estratégia atlântica, e maximizar as receitas por via das exportações pela actividade da própria" empresa.

Há cerca de um mês, depois da nomeação do conselho de administração da NAV, os trabalhadores desconvocaram uma greve.

"Infelizmente pouco ou nada aconteceu, entretanto, e a NAV e o país continuam a sofrer diariamente os efeitos nefastos das decisões em vigor, perdendo milhões de euros em receitas e exportações e estando a ser criadas condições para uma eventual alienação, a prazo, de espaço aéreo nacional", disse então a CT em comunicado.

Depois de se ter registado um dia de paralisação em 13 de Abril, a greve parcial (das 07:00 às 09:00 no continente e na Madeira e das 06:00 às 08:00 nos Açores) repete-se na sexta-feira e no dia 26 de Abril, para um total de quatro dias.

7
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags:
alertasPor palavra-chave: