Banca & Finanças Grupo chinês Wanda de olho em bancos europeus

Grupo chinês Wanda de olho em bancos europeus

A empresa chinesa Wanda estará interessado em comprar activos financeiros na Europa. E o alemão Postbank poderá estar na lista, segundo o Financial Times.
Grupo chinês Wanda de olho em bancos europeus
Bloomberg
Negócios 13 de fevereiro de 2017 às 12:21

O Grupo Dalian Wanda, liderado por Wang Jianlin, considerado o homem mais rico da China, estará interessado em comprar activos financeiros europeus, incluindo o alemão Postbank, conta o Financial Times (FT). O objectivo do grupo chinês, o maior do ramo imobiliário neste mercado, é diversificar as áreas de actividade.

A compra do alemão Postbank, que foi posto à venda pelo Deutsche Bank, não será o único negócio na mira do Wanda, disseram fontes próximas do processo ao mesmo meio.

A procura por activos financeiros no Velho Continente estará ainda numa fase inicial, não tendo o grupo chinês contactado oficialmente o Deutsche, segundo as mesmas fontes.

Outra fonte disse ao FT que o Deutsche Bank está a pedir 6 mil milhões de euros pelo banco de retalho, que está a registar baixos retornos devido às taxas de juros baixas e à forte concorrência dos rivais que contam com o apoio estatal.

Contactado pelo FT, inicialmente o grupo chinês não fez comentários. Mas esta segunda-feira comentou que não avançou com qualquer contacto com o Postbank e não tem intenção de avançar com a compra. O Deutsche Bank recusou-se comentar.

Os movimentos de fusões e aquisições por parte de empresas chinesas têm estado no centro das atenções dos reguladores nos últimos dois anos devido ao forte crescimento destas operações.

Só o Grupo Wanda investiu 11,8 mil milhões de dólares desde 2014 na compra de activos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Os chineses apostaram em Portugal para entrar na Europa e até agora estão a ser bem sucedidos em todos os setores.

pub