Turismo & Lazer Grupo hoteleiro quer contratar 350 pessoas em Portugal

Grupo hoteleiro quer contratar 350 pessoas em Portugal

O grupo hoteleiro nacional Blue&Green, que tem hotéis em Tróia, Vilamoura, Porches e Coimbra vai realizar uma feira de emprego com o objectivo de contratar 350 pessoas.
Grupo hoteleiro quer contratar 350 pessoas em Portugal
Miguel Baltazar
Negócios 15 de janeiro de 2018 às 17:57

O grupo Blue&Green vai realizar uma feira de emprego para tentar contratar 350 pessoas para as várias unidades hoteleiras. As vagas disponíveis são de diferentes áreas. E o recrutamento será feito em dias diferentes, dependendo da unidade em questão.

 

"O grupo hoteleiro nacional Blue&Green vai realizar uma feira de emprego – JOB CAMP para admitir 350 profissionais para os hotéis Tróia Design Hotel (Tróia), The Lake SPA Resort (Vilamoura), Vilalara Thalassa Resort (Porches) e Quinta das Lágrimas (Coimbra), todos de cinco estrelas", revela o comunicado emitido esta segunda-feira, 15 de Janeiro.

 

"As 350 vagas em aberto são para as mais diferentes áreas e níveis funcionais. Este Job Camp é de acesso gratuito e tem como principal objectivo angariar profissionais de excelência para funções em áreas tão distintas como cozinha, restaurante e bar, housekeeping, front office, SPA e manutenção", adianta a mesma fonte.

 

O grupo revela ainda que os interessados na unidade de Tróia deverão apresentar-se nesse local, no dia 22 de Janeiro, às 10:30. Na unidade de Vilamoura, o dia de recrutamento é 23 de Janeiro, em Coimbra, 30 do mesmo mês, e em Porches a 16 de Fevereiro. A hora do início do evento é às 10:30 em todos os casos. 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

O problema de economias como a portuguesa é terem, por um lado, empregados a mais a ocupar postos de trabalho que não se justificam, com todos os elevados custos de oportunidade que isso representa para a sustentabilidade do Estado, a competitividade da economia e o nível de equidade na sociedade. Estes agentes económicos pertencem à esfera da extracção de valor. Por outro lado, terem relativa e proporcionalmente poucos empregados a ocupar postos de trabalho justificáveis e que criem valor excepcional. Estes agentes económicos pertencem à esfera da criação de valor. Há efectivamente um desequilíbrio muito pronunciado entre criação de valor e extracção de valor na economia portuguesa. O IMD explica-nos isso muito bem. http://www.imd.org/news/is-value-extraction-viable.cfm

comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 1 semana

TugaLândia deveria mudar o nome para HOTELgal.

Só emprego qualificado! Sopeiras, cozinheiras, empregadas limpeza, empregados de mesa e balcão, concierges....

Telma Há 1 semana

Pelo que pagam nem vale a pena metam aqueles miúdos dos Erasmus

Anónimo Há 1 semana

Há um problema generalizado na industria hoteleira, ganham milhões mas pagam mal, as condições de trabalho são más e tem uma maneira de trabalhar antiquada.
A mão de obra que necessitam já emigrou a muito para fazer os mesmos serviços noutros países da Europa.

ahahhaahhaahah Há 1 semana

Eles a insistirem com ordenados de merda, metam o patrão a servir à mesa ahahhahahaahahhaahhahahahahahahahahaha

ver mais comentários
pub