Empresas Grupo ISQ assina contrato de 3 milhões com centro espacial da Guiana Francesa

Grupo ISQ assina contrato de 3 milhões com centro espacial da Guiana Francesa

O grupo ISQ firmou um contrato com o centro aeroespacial da Guiana Francesa, no valor de três milhões de euros. O contrato vai permitir que a empresa portuguesa preste serviços de apoio aos testes de foguetões.
Grupo ISQ assina contrato de 3 milhões com centro espacial da Guiana Francesa
Direitos Reservados
Negócios 11 de setembro de 2017 às 13:25

O grupo ISQ fechou um contrato no valor de três milhões de euros com o CSG - Centre Spatial Guyanais –, localizado em Kourou na Guiana Francesa.

Em causa no contrato agora firmado está a prestação de serviços de apoio à operação, montagem, integração e teste de foguetões. É deste local que a Agência Espacial Europeia efectua vários dos seus lançamentos.

O presidente do ISQ, Pedro Matias, em comunicado, refere que "este contrato vai permitir que o ISQ continue presente no CSG, de forma permanente, até 2022 e representa uma facturação superior a 3 milhões de euros".

"O ISQ é a única entidade portuguesa presente, em permanência, no Spaceport de Kourou, desde 2004, o que mostra a excelência da engenharia e da indústria portuguesa", acrescenta.

O centro espacial localizado na Guiana Francesa tem uma representação acima dos 50% no mercado mundial de satélites geoestacionários civis. Ou seja, explica a empresa em comunicado, metade dos satélites deste género que foram colocados em órbita tiveram a participação da engenharia desta empresa portuguesa.

"A presença do ISQ no sector da Aeronáutica e Aeroespacial é o resultado de um trabalho de vários anos, de uma equipa diversificada e qualificada em áreas de elevada complexidade tecnológica e organizacional, que permitiu ao ISQ granjear nome e sucesso no sector, dentro e fora do país", conclui o presidente do ISQ.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 1 semana

MÁFIA DE MACAU

pub