Empresas Grupo Lena vende participação na Autoestradas do Oeste

Grupo Lena vende participação na Autoestradas do Oeste

O grupo Lena anunciou a venda da posição que detinha na Autoestradas do Oeste à Roadis. O valor da operação não foi revelado.
Grupo Lena vende participação na Autoestradas do Oeste
Negócios 08 de dezembro de 2017 às 12:01

"O Grupo Lena acaba de alienar as suas participações na Autoestradas do Oeste à Roadis, numa acção conjunta com o Grupo MSF", revela a empresa num comunicado emitido esta sexta-feira, 8 de Dezembro.

 

Esta venda "contribuirá de forma importante para a capitalização do sector das construções do Grupo Lena", explica a mesma fonte, que não revela qual o valor da operação.

 

A venda desta posição à Roadis, uma multinacional detida por um dos maiores fundos de pensões canadiano, deverá ficar "concluída no primeiro trimestre de 2018".

 

A Autoestradas do Oeste detém 50% das Autoestradas do Atlântico (AEA), concessionária da A8 e A15, e 65% das Autoestradas do Litoral Oeste (AELO), que opera o IC2, IC9 e IC36, estabelecendo assim a ligação entre a A1, A8 e A17.

 

O grupo Lena adianta que a Roadis "opera em vários países, gerindo actualmente 1892 quilómetros de auto-estradas, em dez concessões no México, Brasil, Espanha, Portugal e Índia. Opera ainda no sector das redes eléctricas no estado do Texas, nos Estados Unidos da América."




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 10.12.2017

A firma "Socras, Santos & Silva, Ilimitada" vai colher mais uns milhões, salvando dinheiro antes que sejam condenados a repor algum ao Estado.

Ladrão 44 ? já foi condenado ? 08.12.2017

ou continua a ser um verbo de encher, enquanto os verdadeiros 44 gozam à fartazana.

lx 08.12.2017

Espera aí. Agora já percebi. O grupo Lena é o tal que foi beneficiado pelo Sócrates. As PPP são um cancro na nossa economia. Então o ladrão do Sócrates criou as PPP para beneficiar os amigos e enganar os tugas. Se esse sujeito um dia passar à minha frente, vai ficar com a cara num bolo.

Anónimo 08.12.2017

Ainda não percebi como o governo não nacionalizou já este grupo de maneira a recuperar algum do roubo do LADRÃO44.

pub