Empresas "Guerra das Estrelas" leva Disney a recordes de bilheteira

"Guerra das Estrelas" leva Disney a recordes de bilheteira

A Disney ultrapassou o valor recorde de 7 mil milhões de dólares de vendas de bilhetes. Em causa estão sucessos de bilheteira como o spin-off da "Guerra das Estrelas", "À Procura de Dory", "Zootopia" e "O Livro da Selva".
"Guerra das Estrelas" leva Disney a recordes de bilheteira
Negócios 20 de dezembro de 2016 às 13:29

A Disney tornou-se o primeiro estúdio a atingir os 7 mil milhões de dólares (6,75 mil milhões de euros à cotação actual) em receitas globais de bilheteira, superando o recorde da concorrente Universal, atingido no ano passado, quando os estúdios criadores de filmes como "Mundo Jurássico" e "Velocidade Furiosa 7" chegaram aos 6,65 mil milhões de euros de receitas.

A contribuir para a superação daquela barreira esteve o filme "Rogue One: Uma História de Star Wars", o mais recente sucesso da Disney que atingiu vendas de 289,4 milhões de euros no fim-de-semana de estreia. O The Guardian avança que as vendas em franchise do filme de ficção científica e a popularidade do recente filme de animação "Vaiana" poderão levar a empresa de entretenimento a chegar à marca dos 8 mil milhões de dólares em lucro.

Películas como "Capitão América: Guerra Civil", "À Procura de Dory" e "Zootopia" permitiram somar cerca de mil milhões de euros, enquanto "Doctor Strange", lançado em Novembro, acrescentou 627 milhões de euros às contas.


Alan Horn, presidente dos Estúdios Walt Disney, atribui o recorde de bilheteira à qualidade das produções: "Contando as melhores histórias de todos os tipos que difundem por audiências de todas as fronteiras, género e gerações".


No ano passado, a Disney conseguiu receitas mundiais de bilheteira de cerca de 5,9 mil milhões de dólares (5,7 mil milhões de euros), sendo quase um quarto deste valor atribuível apenas a um filme: "Star Wars: O Despertar da Força". Para o final de 2017 é esperado o lançamento de um novo filme da saga, o "Episódio VIII".


No mês passado, a Disney revelou contas trimestrais aquém das expectativas dos investidores.
Em causa está o declínio do serviço da empresa em televisão por cabo, nomeadamente com a redução nas subscrições.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub