Media Guiné-Bissau confirma disponibilidade de Portugal para conversar sobre situação da RTP

Guiné-Bissau confirma disponibilidade de Portugal para conversar sobre situação da RTP

O ministro da Comunicação Social da Guiné-Bissau, Victor Pereira, anunciou ter recebido indicações do Governo português para abrir conversações para a retoma das actividades dos canais África da RTP na Guiné-Bissau.
Guiné-Bissau confirma disponibilidade de Portugal para conversar sobre situação da RTP
Lusa 04 de agosto de 2017 às 22:00

Em declarações transmitidas pela Radiodifusão Nacional (RDN), o governante guineense referia-se à suspensão das actividades da RTP decretada por Bissau a 30 de Junho.

 

Victor Pereira indicou que, como sempre defendeu, a decisão apenas foi motivada pela caducidade do acordo de cooperação existente entre os governos de Bissau e Lisboa no domínio da comunicação social e também pelo facto de a parte portuguesa "nunca se mostrar aberta ao dialogo" sobre o assunto. 

 

"Felizmente nestas duas semanas tem havido uma boa nova nesse sentido de que (Portugal) quer conversar connosco", afirmou Victor Pereira, sublinhando serem falsas as alegações de que a suspensão visasse "cercear a liberdade de imprensa". 

 

O ministro apontou as rádios privadas que operam no país, "algumas a roçarem a libertinagem", com impostos em atraso e licenças provisorias, para justificar que não é intenção do Governo interferir no funcionamento de nenhum órgão.

 

Victor Pereira afirmou que vários órgãos de comunicação social estrangeiros operam regularmente na Guiné-Bissau, dando o exemplo, entre outros, da agência Lusa que disse estar em conversações já para apoiar a Agência de Noticias da Guiné (ANG), no quadro da cooperação.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Só andamos a aturar pretos!!! Ainda por cima burros!!

pub
pub
pub
pub