Empresas GVC fecha compra da empresa de apostas Ladbrokes por 4 mil milhões

GVC fecha compra da empresa de apostas Ladbrokes por 4 mil milhões

A dona das plataformas Partypoker e Sportingbet vai comprar o operador de casa de apostas Ladbrokes por 4,4 mil milhões de libras.
GVC fecha compra da empresa de apostas Ladbrokes por 4 mil milhões
Negócios 22 de dezembro de 2017 às 10:07

A multinacional GVC vai comprar a casa de apostas Ladbrokes Coral por 4 mil milhões de libras (cerca de 4,5 mil milhões de euros), anunciaram as empresas esta sexta-feira, 22 de Dezembro.

 

De acordo com o comunicado em que informam sobre o negócio, os investidores vão receber um total de 207,2 pence por cada acção da Ladbrokes. A GVC oferece 164,40 pence em acções (um prémio de 5,8% face ao fecho de ontem) e dinheiro, mais um valor contingente até 42,80 pences por acção.

 

O montante deste pagamento será determinado pelo resultado de uma revisão regulamentar no Reino Unido sobre os terminais de apostas electrónicas, que poderá resultar numa queda abrupta das apostas em máquinas, reduzindo a receita dos proprietários das lojas.

 

A Bloomberg adianta que a fusão da GVC, dona das plataformas Partypoker e Sportingbet, e o operador de lojas de apostas Ladbrokes Coral poderá estimular ainda mais a consolidação neste sector. A Ladbrokes Coral, cujas lojas de apostas tradicionais nos centros urbanos do Reino Unido estão a desaparecer, ficará mais exposta à expansão do negócio dos jogos digitais, enquanto a GVC poderá chegar a mais clientes potenciais para as suas plataformas online.

 

A especulação em torno deste negócio surgiu no ano passado, e a 7 de Dezembro as empresas confirmaram estar em negociações avançadas.

 

As acções da Ladbrokes ganham 1,15% para 176,00 pence, enquanto a GVC desce 1,99% para 916,00 pence. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar